Cemitério de Maçãs de Dona Maria

IPA.00003315
Portugal, Leiria, Alvaiázere, Alvaiázere
 
Cemitério construido em socalcos num plano inclinado dando-lhe forma de ligeiro anfiteatro.
Número IPA Antigo: PT021002040005
 
Registo visualizado 46 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício e estrutura  Funerário  Cemitério    

Descrição

Planta quadrangular; espaço único, descoberto, disposto num declive escalonado acentuado, aproveitando a inclinação natural da vertente da colina, com espaço livre ao centro e jazigos e sepulturas rasas de ambos os lados, o que lhe confere uma forma de ligeiro anfiteatro. Recinto delimitado por altos muros caiados, com portão de acesso em ferro forjado.

Acessos

Largo da Igreja Matriz

Protecção

Em vias de classificação (Homologado como IM - Interesse Municipal, Despacho de 30 abril 1997 do Ministro da Cultura)

Enquadramento

Urbano. Situa-se frente à fachada principal da Igreja Paroquial de São Paulo (v. PT021002040026), construído em plano inclinado, acompanhando o acentuado declive do terreno.

Descrição Complementar

Os jazigos localizam-se no lado direito do cemitério e as sepulturas rasas no lado esquerdo

Utilização Inicial

Funerária: cemitério

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1210 - D. Sancho I doa o território designado por manzanas a D. Maria Pais Ribeira; 1434 - D. Duarte concede a D. Pedro de Meneses, 2º conde de Viana e 1º conde de Vila Real a prerrogativa de nomear alcaides, juizes, tabeliães nos lugares de Chão de Couce, a saber, Maçãs de D. Maria, Aguda e Avelar e o lugar de Couce; 1451 - D. Afonso V confirma a posse dos direitos e tributos destas povoações a D. Pedro de Meneses, 3º conde de Vila Real e 1º marquês do mesmo título; 1514 - D. Manuel cria o concelho de Maçãs de D. Maria; 1641 - passa para a Coroa a Casa dos marqueses de Vila Real, por sentença de morte e confiscação de bens contra os detentores, por conspirarem a favor de Castela; transitando depois para a Casa do Infantado, na pessoa do infante D. Pedro; 1834 - remição por parte dos foreiros da Casa do Infantado; 1836 - o concelho de Maçãs de D. Maria é ampliado, anexando-se-lhe a área dos de Arega e Aguda; 1855 - o concelho acaba, e as suas 3 freguesias são incorporadas no concelho de Figueiró dos Vinhos; construção do cemitério; 1895 - a freguesia de Maçãs de D. Maria é anexada ao concelho de Ancião; 1898 - passa a fazer parte do concelho de Alvaiázere.

Dados Técnicos

Estruturas autónomas

Materiais

Cantaria; alvenaria (muro); ferro forjado

Bibliografia

Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Vol. 15, Lisboa - Rio de Janeiro; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, Vol. V, Lisboa, 1955.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMAlvaiázere

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; CMAlvaiázere

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Lurdes Perdigão 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login