Império do Espírito Santo de Porto Martins e Despensa

IPA.00032944
Portugal, Ilha Terceira (Açores), Praia da Vitória, Porto Martins
 
Arquitetura religiosa, do séc. 20. Império de planta retangular, interiormente de espaço único, construído sobre soco e tendo despensa construída nas imediações. Apresenta a fachada principal rematada em frontão recortado sobreposto pela Coroa do Espírito Santo, estruturada e seccionada por três eixos de vãos, correspondendo a portais entre janelas, estas tendo inferiormente almofadas relevadas, sendo os elementos estruturais e decorativos em argamassa, sublinhados por policromia azul esverdeada, de sabor popular. As fachadas laterais, terminadas em platibanda plena, são também estruturadas por vãos semelhantes, mas em número de dois. Nas imediações possui despensa de planta retangular e fachada principal larga, evoluindo num piso, rasgada por porta entre janelas.
Número IPA Antigo: PT071905110035
 
Registo visualizado 1488 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Império    

Descrição

IMPÉRIO de planta retangular simples, de cobertura homogénea em telhados de duas águas, rematada em beirada simples. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com cunhais e frisos do soco pintados de preto, pilastras, frisos, cornijas, molduras dos vãos e elementos decorativos pintadas de azul esverdeado. Fachada principal virada a SO., com pilastras boleadas nos cunhais, corodas por pináculos tipo pinha, pintados de cinzento, assentes em plintos ornados por losângos relevados pintados de branco, e terminada em platibanda plena encimada por frontão recortado, coroado por coroa do Espírito Santo. O tímpano é decorado por cartela oval de moldura folhada inscrita com a data de 1902, entre dois florões e encimado por vieira. É rasgada por três vãos em arco tilobado, assentes em pilastras, correspondendo a porta entre duas janelas de peitoril, todos com bandeiras, e as janelas com guarda de peito em ferro fundido, ornado com motivos vegetalistas; as pilastras são prolongadas por almofadas retangulares relevadas até à cornija inferior e na própria platibanda, onde têm perfil curvo. Sob as janelas surgem almofadas retangulares, pintadas de branco. Fachadas laterais terminadas em platibanda plena, e de dois panos definidos por pilastras, as posteriores coroadas por pináculos tipo pinha, abrindo-se no primeiro pano esquema semelhante ao da frontaria, mas apenas com duas janelas, de arco trilobado sobre pilastras, assentes em plintos ornados com losangos, e com guarda de peito em ferro. Fachada posterior cega e terminada em cornija. INTERIOR com pavimento cerâmico, paredes rebocadas e pintadas de branco e teto de estuque assente em friso de madeira. Na parede testeira abre-se nicho de cantaria, em arco de volta perfeita, sobre pilastras, assente em cornija e com chave relevada, interiormente pintado de branco e albergando pequeno trono epainel de estanho com Coroa do Espírito Santo. No topo da fachada lateral direita do Império foi construída, em plano recuado, CASA DE APOIO, de planta retangular simples e cobertura em telhado de uma água. Tem fachadas rebocadas e pintadas de branco, a principal virada a SO., com cunhais sublinhados a azul esverdeado, o terço inferior marcado por cornija e terminada em empena contracurvada, com cornija na mesma cor, sendo ao centro rasgada por óculo oval, moldurado; à esquerda, rasga-se porta de verga reta. Fachadas laterais e posterior cegas. A DESPENSA, disposta perpendicularmente à casa de apoio, tem planta retangular e massa simpes, com cobertura homogénea em telhados de quatro águas, rematados em dupla beirada. Tem fachadas de um piso, rebocadas e pintadas de branco, a principal virada a NO., com embasamento pintado de preto e cunhais de azul esverdeado, rasgada por três vãos retilíneos, de molduras recortadas superiormente, nas janelas formando falsos brincos retos, pintadas de azul esverdeado; correspondem a portal central, este sobreposto com cartela de argamassa inscrita com a data de 1902 e a janelas de peitoril, que têm caixilharia de duas folhas, uma delas com ripado de madeira.

Acessos

Porto Martins, Largo Comendador Pamplona

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolado, no limite E. da povoação e junto ao mar. Ergue-se num largo espaçoso, alcatroado, atravessado pela estrada, protegido pelo lado do mar por muro com conversadeiras, formando miradouro. O império, despensa e anexo mais recente forma um conjunto harmonioso em L, disposto a NE. do largo, adaptando-se ao declive suave do terreno, sendo o império acedido por escadas semicirculares de cantaria, com seis degraus; a casa de apoio tem plataforma retangular sobrelevada ao largo, delimitada à direita por muro. Em frente, do outro lado da estrada, ergue-se a Igreja Paroquial de Porto Martins (v. PT071905110016) e a Casa do Povo.

Descrição Complementar

Ladeia o portal da despensa, à esquerda, registo de azulejos com o nome do largo "Largo do Comendador Pamplona" e, à direita, lápide de cantaria com a inscrição, em quatro regras "O COM. JOSÉ COELHO PAMPLONA / MANDOU FAZER ESTA DESPENSA / E A OFERECEU AO DIVINO ESPÍRITO SANTO / 1902".

Utilização Inicial

Religiosa: império do Divino Espírito Santo

Utilização Actual

Religiosa: império do Divino Espírito Santo

Propriedade

Privada: Irmandade

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1902 - data inscrita na empena do Império e em lápide na despensa, assinalando a construção de ambos os edifícios, tendo a despensa sido custeada pelo Comendador Jo´se Coelho Pamplana.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; portas e caixilharia de madeira; vidros simples; pavimento cerâmico; nicho em cantaria basáltica; cobertura de telha.

Bibliografia

CAMPOS, João dos Santos de Sousa - Para uma explicação da arquitectura dos Impérios do Espírito Santo. Porto: s.n., 2002. Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais, apresentada à Universidade Aberta, texto policopiado; DUARTE, Mário, OLIVEIRA, Álamo, Terceira A Ilha dos Impérios, Praia da Vitória, Blue, 2008; LOPES, Tenente-coronel Frederico, Memória sobre as Festas do Espírito Santo na ilha Terceira dos Açores, Sep. do vol. 15 do Boletim do Instituto Histórico da Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, Tipografia Andrade, s.d.; LUCAS Padre Alfredo, As Ermidas da Ilha Terceira, Angra do Heroísmo, 1976; MERELIM, Pedro de, Freguesias da Praia, vol. 1, Angra do Heroísmo, Direcção Regional de Orientação Pedagógica, 1982; MOTA, Valdemar, O Visconde de Porto Martim - Um Benemérito Açoriano no Brasil, Angra do Heroísmo, 1978; (http://www.inventario.iacultura.pt/terceira/praiavitoria), [consultado em 03-01-2012].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Paula Noé 2012

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login