Igreja Paroquial de Ribeira das Taínhas / Igreja do Bom Jesus Menino

IPA.00032495
Portugal, Ilha de São Miguel (Açores), Vila Franca do Campo, Ribeira das Taínhas
 
Arquitetura religiosa, oitocentista. Igreja paroquial com planta retangular composta por nave e capela-mor, tipologia pouco comum na ilha de São Miguel, interiormente com iluminação axial e bilateral e tetos de madeira. Apresenta a fachada principal terminada em frontão apontado, com ligeiro recorte e definido por volutas, e rasgada por eixo de vãos, com portal abatido e amplo óculo, ambos de molduras boleadas. Na fachada lateral direita abre-se porta travessa de verga reta e janela retilínea e na oposta, a torre, de tendência vertical, tem dois registos, o primeiro com olhos de boi e o segundo com sineiras em arco, rematada em balaustrada. No interior possui duas capelas laterais no topo da nave, arco triunfal de volta perfeita e retábulo-mor de talha policroma e dourada, de corpo côncavo e um eixo.
Número IPA Antigo: PT072106050013
 
Registo visualizado 419 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta retangular composta por nave única e capela-mor, tendo adossado à fachada lateral esquerda corpo retangular e à direita torre sineira quadrangular. Volumes articulados com cobertura homogénea na igreja, em telhados de duas águas, e de duas irregulares no corpo adossado, rematados em beirada dupla. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por soco de cantaria e com cunhais apilastrados. Fachada principal virada a SE., com cunhais apilastrados, coroados por pináculos sobre plintos paralelepipédicos, e terminada em frontão ligeiramente apontado e definido por volutas, coroado por cruz latina, de braços quadrangulares, sobre acrotério; no tímpano possui cartela inscrita. É rasgada por portal em arco abatido, com fecho relevado, sobre pilastras estreitas de ângulos boleados, e por óculo circular moldurado. Fachada lateral direita com a nave rasgada por porta travessa de verga reta e janela retilínea; o corpo adossado possui dois pisos, tendo a fachada virada a SE. rasgada por porta de verga reta e, no segundo piso, por janela de peitoril, com moldura pintada e caixilharia de guilhotina. A sua fachada O. termina em empena descentrada, rasgando-se no piso térreo duas janelas de peitoril, e no segundo uma outra e um óculo circular, todos sem molduras. Sensivelmente recuada, dispõe-se à direita a torre sineira, de dois registos, separados por friso e cornija, o primeiro frontalmente rasgado por dois pequenos olhos de boi e, no segundo registo, em três das faces, por sineira, em arco de volta perfeita sobre pilastras, com pano de peito rebocado e pintado, e albergando sino; remata em balaustrada com acrotérios nos cunhais, coroados por pináculos. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco e teto de madeira. Lateralmente possui duas mísulas de cantaria com imaginária e duas capelas laterais, em arco de volta perfeita sobre pilastras. Arco triunfal de volta perfeita sobre pilastras, ladeado por mísulas com imaginária. Na capela-mor, sobre supedâneo, dispõe-se retábulo-mor de talha policroma e dourada, de corpo reto e um eixo.

Acessos

EN 3-2; Rua da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, adossado, no centro da povoação. Implanta-se junto à estrada, para onde se vira, numa plataforma sobrelevada à mesma, adaptada ao declive, formando adro, acedido frontalmente por larga escadaria. Junto à fachada lateral esquerda, o adro é mais largo, enquadrado por outras construções e um palco para as festas, com pavimento em lajes e paralelepípedos, formando motivos, e tendo vários bancos de jardim. À torre sineira adossa-se outro edifício.

Descrição Complementar

No tímpano existe cartela retangular, definida por volutas, com a inscrição "B I M / 1833".

Utilização Inicial

Religiosa: ermida

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Angra)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1811, depois - construção de uma ermida, uma vez que neste ano o bispo D. José Pegado de Azevedo fala de todas as igrejas sufragâneas da Matriz de Vila Franca do Campo e não se refere a de Ribeira das Tainhas; 1833 - data inscrita no tímpano, correspondendo ao término das obras; 1839 - atribui-se de pároco ao curato da Ribeira das Tainhas; 1852 - depois da extinção das Ordens Religiosas, solicitam-se vários ornamentos e alfaias pertencentes ao convento de São Francisco de Vila Franca; 1854 - elevação da ermida a sede de paróquia; 1980 - data da criação da freguesia; 1993, 05 março - visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; socos, frisos, cornijas, molduras dos vãos, cruz, pináculos, plintos, balaustrada e outros elementos em cantaria de basalto; portas de madeira; vidros simples e policromos; teto de madeira; retábulo-mor em talha policroma e dourada; cobertura e beirada dupla de telha.

Bibliografia

COSTA, Carreiro da - História das Igrejas e Ermidas dos Açores. Ponta Delgada: Tipografia Jornal Açores, 1955; Dias, Urbano de Mendonça - História das Igrejas, Conventos e Ermidas Micaelenses - I. Vila Franca de Campo Tipografia: "A Crença", 1949; MENDES, Hélder Fonseca (dir.) - Igrejas paroquiais dos Açores. Angra do Heroísmo: Boletim Eclesiástico dos Açores, 2011, p. 111; PONTE, Prior Jorge Furtado da - Vila Franca do Campo na Ilha de São Miguel. Paróquia de São Miguel Arcanjo, Igreja Matriz. Vila Franca do Campo: Editorial Ilha Nova; Câmara Municipal de Vila Franca do Campo. 2000, p. 209.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

João Faria e Paula Noé 2014 (no âmbito da parceria IHRU / Diocese de Angra)

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login