Igreja Paroquial de Bragado / Igreja de São Pedro

IPA.00032312
Portugal, Vila Real, Vila Pouca de Aguiar, Bragado
 
Arquitectura religiosa, maneirista e barroca. Igreja paroquial de planta rectangular composta por nave e capela-mor, interiormente com iluminação axial e bilateral e tectos de madeira. Fachadas rebocadas e pintadas, com cunhais apilastrados, coroados por pináculos e terminadas em friso e cornija; a principal termina em empena e é rasgada por portal de verga recta encimado por frontão semicircular e nicho. Fachadas laterais rasgadas por janelas de capialço e porta travessa na lateral direita e a posterior cega e terminada em empena. Interior com coro-alto de madeira, púlpito no lado do Evangelho, duas capelas laterais no topo da nave, um novecentista e outro de estrutura maneirista e retábulo-mor barroco, de planta recta e três eixos.
Número IPA Antigo: PT011713040089
 
Registo visualizado 283 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta rectangular composta por nave e capela-mor, da mesma largura e mais alta, tendo adossado à fachada lateral esquerda sacristia rectangular. Volumes escalonados com coberturas em telhado de duas águas na igreja e de uma na sacristia, rematadas em beirada simples. Fachadas da nave rebocadas e pintadas de branco e as da capela-mor e sacristia em cantaria aparente, a igreja de cunhais apilastrados, coroados por pináculos piramidais com bola sobre acrotérios e terminadas em friso e cornija. Fachada principal virada a O., terminada em empena coroada por cruz latina de braços com chanfros, sobre acrotério. É rasgada por portal de verga recta, com moldura encimada por friso e frontão semicircular, com o tímpano vazado por óculo quadrilobado, moldurado, e nicho em arco de volta perfeita, sobre pilastras, interiormente em cantaria e concheado, albergando imagem do orago. Fachadas laterais com a nave rasgada por duas janelas de capialço, abrindo-se na direita porta travessa de verga recta e moldura simples, e uma outra janela na capela-mor; na lateral esquerda a sacristia possui porta de verga recta a O.. Fachada posterior com a capela-mor cega e terminada em empena, coroada por cruz latina sobre acrotério, e a sacristia rasgada por janela de capialço e terminada em meia empena. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco, com azulejos de padrão bícromo, azul e branco, formando silhar, pavimento em soalho de madeira e cobertura em falsa abóbada de berço, de madeira envernizada. Coro-alto de madeira, pintado de castanho, assente em quatro mísulas de cantaria, com guarda em falsos balaústres e acedida por escada disposta no lado da Epístola. No sub-coro, possui, no lado do Evangelho, pia baptismal de taça circular exteriormente gomeada sobre pé galbado. Também neste lado, mas em frente da porta travessa, dispõe-se o púlpito, com bacia circular de cantaria, decorada com elementos fitomórficos e actualmente adaptado a mísula para sustentação de imaginária. No topo da nave surgem duas capelas laterais confrontantes, em talha policroma, de planta recta e um eixo, desiguais, ladeadas por pequenos nichos de alfaias, em arco de volta perfeita. Arco triunfal de volta perfeita sobre pilastras toscanas. Na capela-mor, sobre supedâneo de dois degraus, dispõe-se o retábulo-mor, em talha policorma, de planta recta e três eixos, definido por seis colunas torsas, decoradas por anjos, pâmpanos e aves, sobre mísulas; ao centro, abre-se tribuna em arco de volta perfeita, interiormente com cobertura em abóbada de berço revestida a apainelados de acantos, e albergando trono decorado por querubins e acantos; nos eixos laterais possui painéis pintados de bege, sobrepostos por mísulas com imaginária; ático de quatro arquivoltas, três torsas e uma plana, decorada de acantos, unidas no sentido do raio e com fecho composto por anjos tenentes segurando cartela com as insígnias do orago. Cobertura em falsa abóbada de berço pintada com cartela central contendo imagem de São Pedro. Na sacristia existe lavabo de espaldar, disposto na vertical, com bica em almofada relevada, encimada pelo depósito de água em arco; em frente tem bacia de perfil curvo.

Acessos

Rua Central

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, no interior da povoação, situada nas raízes da Serra do Bragado, inserido num dos largos principais, em plataforma artificial adaptada ao declive acentuado do terreno, com afloramentos rochosos, formando adro. Este é protegido por muro, em cantaria, acedido por escada disposta em posição lateral, integrando frontalmente campanário de planta rectangular e corpo em cantaria, de dois registos, o primeiro cego e o segundo com sineira em arco de volta perfeita, sobre pilares, albergando sino, e rematada por cornija encimada por cruz sobre acrotério entre pináculos piramidais. O adro tem pavimentado a paralelos, com guias de cantaria. Nas imediações existe um cruzeiro e duas fontes, adossadas a muro delimitador de propriedade. (v. PT011713040067), em frente destas os tanques lavadouros e um coreto, assente no afloramento rochoso, com acesso por escada lateral. Como pano de fundo, surgem campos agrícolas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Vila Real)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 13 - época do repovoamento da região; depois desta centúria procedeu-se ao estabelecimento da paróquia de Bragado, numa capela dedicada a São Pedro, depois transformada em igreja; séc. 17, inícios - época provável da construção da igreja actual; 1653 - data do primeiro registo de baptismo documentado; 1723 - obrigação à fábrica do Santíssimo Sacramento, a favor dos moradores da freguesia para colocarem o sacrário com o Santíssimo na sua igreja, a ele se obrigando para que tenha a lâmpada sempre acesa e esteja sempre decente; 1731 - data do primeiro registo de óbitos documentado; 1755, 1 Novembro - não padeceu ruína considerável no terramoto; 1758, 19 Março - segundo o vigário Manuel Martins Alvares nas Memórias Paroquiais, a freguesia pertencia ao concelho de Vila Pouca de Aguiar, arcebispado de Braga, comarca de Vila Real, sendo donatário e comendador o Infante D. Pedro; o lugar tinha 26 vizinhos e 97 pessoas; a igreja, com orago de São Pedro, tinha uma nave e três altares: o altar-mor, com o Santíssimo, para a lâmpada do qual o comendador contribuía com azeite necessário, e a imagem do santo, e dois altares no corpo da igreja, o do Evangelho dedicado à Senhora da Purificação e o da Epístola tinha o Cristo Crucificado; o pároco era vigário perpétuo, com apresentação do reitor de Pensalvos, igreja matriz e cabeça da comenda; tinha 25 alqueires de trigo por passal e mais 2 para hóstias, 40 alqueires de centeio e 16$000 em dinheiro, que lhe dava o comendador, o qual também contribuía com o que mais fosse necessário ao culto e administração dos sacramentos, a saber, 2 almudes de vinho, 2 arrastes de sabão e 9 libras de cera branca; 1777 - data do primeiro registo de casamento documentado.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada ou em cantaria de granito aparente; pilastras, frisos, cornijas, sineira, cruzes, pináculos, molduras dos vãos, pia baptismal, nichos de alfaias, pias de água benta, bacia do púlpito e outros elementos em cantaria de granito; portas de madeira; retábulos de talha policroma e dourada; pavimento em soalho de madeira; tectos de madeira pintados; cobertura de telha.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2006; http://www.freguesiadebragado.com/, Setembro 2011.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Proprietário: 1990, cerca - obras de restauro da igreja.

Observações

EM ESTUDO. *1 - Segundo as Memórias Paroquiais, o lugar de Bragado chamava-se antigamente Vergado.

Autor e Data

Paula Noé 2011

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login