Igreja Paroquial de Casais / Igreja de São Paio

IPA.00030633
Portugal, Porto, Lousada, União das freguesias de Nespereira e Casais
 
Arquitectura religiosa, maneirista, barroca e neoclássica. Igreja paroquial de planta rectangular composta por nave única, capela-mor, torre sineira e corpos adossados à fachada lateral esquerda, com coberturas internas diferenciadas, em falsas abóbadas de berço de madeira, iluminada uniformemente por janelas rectilíneas rasgadas nas fachadas laterais. Fachada principal maneirista, com o corpo tripartido por pilastras toscanas, os panos laterais cegos e o central rasgado por vãos em eixo, formando pelo portal e janela rectilíneos. Remata em platibanda plena, alteada na zona central, de execução oitocentista, data em que também foi construída a torre, de planta quadrada e cobertura em coruchéu piramidal, com ventanas em arcos de volta perfeita. Fachadas flanqueadas por cunhais apilastrados e rematadas em friso e cornija, as laterais com portas travessas de verga recta. Interior com coro-alto e baptistério na base da torre sineira, com púlpito no lado do Evangelho e retábulos laterais de talha policroma, dois deles tardo-barrocos e o do Sagrado Coração de Jesus do séc. 20. Arco triunfal de volta perfeita e capela-mor com retábulo de talha policromada, de planta convexa e três eixos, de estilo tardo-barroco.
Número IPA Antigo: PT011305050031
 
Registo visualizado 897 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta rectangular composta por nave e capela-mor, com torre e duas dependências adossadas à fachada lateral esquerda, de volumes articulados e coberturas diferenciadas em telhados de uma (corpo anexo), duas (nave e capela-mor) e quatro águas (sacristia). Fachadas em cantaria de granito, rebocadas e pintadas de branco, percorridas por soco de cantaria, flanqueadas por cunhais apilastrados, em aparelho isódomo, firmados por pináculos bolbosos, e rematadas em friso e cornija de chanfro. Fachada principal virada a SO. rematada em platibanda plena, rebocada e pintada de branco, alteada e curva na zona central, formando um falso tímpano, integrando lápide comemorativa, sendo o friso interrompido por quatro acrotérios, os centrais encimados por estatuária, e rematado em friso e cornija com cruz latina sobre plinto galbado e volutado, com hastes lobuladas no vértice. O corpo da fachada apresenta-se tripartido, definido por pilastras toscanas, os laterais cegos e o central rasgado por portal de verga recta e moldura simples, encimado por janelão rectilíneo, também com moldura simples em cantaria. No lado esquerdo e levemente recuada, a torre sineira de planta quadrangular e com cobertura em coruchéu piramidal, rematada em friso e cornija, sobre a qual evolui platibanda plena, apainelada e decorada por cruz em haspa, encimada por pináculos piramidais. Divide-se em dois registos definidos por friso e cornija, o inferior com porta de acesso em arco abatido e moldura simples, encimado por janelão com o mesmo perfil, com parapeito saliente e com a moldura a prolongar-se inferiormente, formando falsos brincos. No segundo registo, quatro ventanas em arcos de volta perfeita e molduras simples, sobre a qual surge, na fachada principal, relógio com mostrador circular. Fachada lateral esquerda marcada pelas dependências anexas e por uma escada de cantaria e guarda vazada em ferro, de acesso à sineira. O corpo de maiores dimensões é rasgado por duas portas e duas janelas rectilíneas, sendo o da sacristia em empena cega, com janelas jacentes nas faces laterais. Sobre os corpos são visíveis as janelas rectilíneas e com molduras simples do templo. Fachada lateral direita com porta travessa de verga recta, ladeada por duas janelas rectilíneas, no corpo da nave, surgindo, na capela-mor, duas janelas em arco abatido. Fachada posterior em empena cega com cruz latina semelhante à da fachada principal no vértice. INTERIOR com as paredes rebocadas e pintadas de branco, percorridas por azulejos de padrão policromo, formando silhar, com pavimento em soalho e cobertura em falsa abóbada de berço abatido de madeira pintada, sustentada por cornija de madeira, pintada de cinza, e reforçada por tirantes metálicos. O tecto encontra-se pintado de cinza e amarelo, formando apainelados de dimensões distintas, com decoração a "grisaille", formando rosetão central, padrão cruzetado, interrompido por rosetas, e, nos ângulos, um tetramorfo. As portas travessas e janelas estão encimadas por sanefas de talha policroma. Coro-alto de madeira, assente em arco abatido, sustentado por mísulas, com guarda torneada de madeira pintada de vermelho, com acesso por porta de verga recta situada no lado do Evangelho, através da torre. Portal axial protegido por guarda-vento de madeira e vidro, decorado por apainelados. No lado do Evangelho e na base da torre sineira, o baptistério com acesso por arco de volta perfeita assente em pilastras toscanas, protegido por grades metálicas pintadas de verde, integrando a data de feitura, com o interior rebocado e pintado de branco, percorrido por azulejos de padrão flor-de-lisado, formando silhar, com cobertura em falsa abóbada de berço e pavimento em mosaico hidráulico. Possui pia baptismal em mármore, com bacia e coluna facetada, encimada por painel de azulejo em bicromia azul e branco, representando o "Baptismo de Cristo". Ainda do mesmo lado, o púlpito quadrangular, com bacia de granito assente em consola do mesmo material, e guarda plena de perfil galbado, em madeira policroma, de branco azul e dourado, formando apainelados; tem acesso por escadas de madeira no lado direito, com guarda balaustrada. No lado da Epístola, fronteiro ao púlpito, capela retabular lateral dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Sobre presbitério elevado por um degrau e confrontantes, duas capelas retabulares laterais, dedicadas ao Crucificado (Evangelho) e a Nossa Senhora da Assunção (Epístola). Arco triunfal de volta perfeita, assente em pilastras com os fustes e intradorso pintados, formando falsos almofadados, encimado por sanefão de talha policroma e vazada, decorado por urnas, palmetas e elementos cordiformes. É ladeado por duas mísulas com imaginária, sobrepujadas por pequenas sanefas. Capela-mor com cobertura em falsa abóbada de berço de madeira, assente em cornija e pintada em apainelados de "grisaille", com alfaias litúrgicas envolvidas por acantos, formando, ao centro, uma Santíssima Trindade horizontal. Paredes rebocadas e pintadas de bege, percorridas por lambril do mesmo tom, gravada, formando falsos azulejos em esquadria, tendo, na zona superior, painéis de estuque com troféus de símbolos da Paixão e, ao centro, painéis pintados; pavimento em soalho. Sobre supedâneo de dois degraus, com um terceiro central, retábulo-mor de talha policromada, de branco, azul e dourado, de planta convexa e três eixos definidos por quatro colunas marmoreadas, as exteriores com o terço inferior marcado e as interiores com falsa espira fitomórfica, assentes em altas consolas galbadas. Ao centro, tribuna de volta perfeita, contendo trono expositivo de cinco degraus e com o fundo pintado de azul celeste. Nos eixos laterais, mísulas encimadas por apainelados de enquadramento de imaginária. Remate em espaldar recortado e fragmentos de cornija, encimados por anjos lampadários, de vulto. Altar em forma de urna, encimado por sacrário em templete, formado por colunas de inspiração jónica, percorridas por falsa espira fitomórfica e com a porta ornada por cálice, rematando o conjunto em cornija e falsa cúpula. Ao centro da capela-mor, a mesa de altar assente em colunas e, no lado da Epístola, um ambão de talha polícroma.

Acessos

Rua da Igreja. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,266045; long.: -8,308357

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Peri-urbano, isolado, em amplo adro sobranceiro, murado e pavimentado com calçada portuguesa, com uma envolvente pouco povoada, marcada por grandes manchas de terra cultivada. A NO., desenvolve-se o cemitério da freguesia. No adro, ergue-se um cruzeiro assente em plataforma escalonada de quatro degraus quadrangulares em cantaria de granito, o inferior embebido no terreno e o superior com as mesmas dimensões do plinto, paralelepipédico e com remate saliente. No topo, cruz latina, com as hastes ornadas por falso almofadado gravado, e rematadas em trilóbulos.

Descrição Complementar

Na fachada principal, uma lápide com a inscrição: "FUNDAÇÃO 1140 RESTAURAÇÃO 1640 POVO DE CASAIS 1940". Confrontantes, os retábulos laterais de talha polícroma, planta recta e um eixo definido por duas colunas com capitéis de inspiração coríntia e o fuste liso e marmoreado, com o terço inferior marcado por elemento fitomórfico, sobre plintos galbados. Ao centro, nicho de perfil recortado, ladeado por quatro mísulas sobrepostas, rematando em frontão interrompido por espaldar recortado com cornija contracurva, de inspiração borromínica. Sobre a estrutura, uma sanefa recortada, rematada por urnas e painel central com decoração vazada. Na base do nicho, sacrário embutido, rematando em cornija contracurva. Altar em forma de urna. A Capela do Sagrado Coração de Jesus é de talha pintada de branco, azul e dourado, de planta recta e um eixo definido por duas pilastras dóricas, rematando em duplo friso e cornija, com urnas nos ângulos e espaldar central, orlado por folhas de acanto. Ao centro, nicho contracurvo, encimado por urnas e acantos, possuindo altar em forma de urna.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Porto)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1258 - referida nas "Inquirições Gerais" como do padroado do mosteiro de Roriz, a quem fora doada por cavaleiros e herdadores, e confirmação da mitra do Porto; 1542 - O "Censual da Mitra do Porto" diz ser da apresentação de Roriz e Vilela; séc. 17 - provável construção da actual igreja; 1706 - segundo o Padre Carvalho da Costa, a povoação pertence à Beetria de Louredo e a igreja é uma abadia apresentada alternadamente pelos Mosteiros de Vilela e de Roriz e rende 220$000; a povoação tem 94 vizinhos; 1758, 08 Abril - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Manuel de Azevedo Freire, é referido que a igreja e a residência paroquial se encontram no meio da freguesia, rodeadas por campos de cultivo; a igreja tem por orago São Paio Mártir, com imagem na capela-mor; tem dois altares colaterais, dedicados ao Santo Nome, com imagem, e a Nossa Senhora da Consolação, com altar privilegiado; é uma abadia apresentada pelo Papa e pela Mitra e tem de rendimento 300$000, contando com a produção do passal; séc. 19 - reforma do imóvel, com a feitura das estruturas retabulares; 1903 - data no relógio; 1940 - colocação de uma lápide alusiva às comemorações dos Centenários na fachada principal; 1951 - data nas grades do baptistério, indicam o ano da sua feitura.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de granito com paramentos rebocados e pintados de branco; embasamentos, molduras de vãos, colunas, frisos, cornijas, frontões, pináculos, cruzes, pia baptismal, pias de água benta, escadas e outros elementos decorativos em cantaria de granito; pavimento em lajeado de granito e madeira; lambril de azulejos estampilhados, retábulos e sanefas em talha policroma e dourada; portas e caixilharias das janelas em madeira; grades em ferro; janelas com vidro simples; cobertura exterior em telha cerâmica; sinos de bronze.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, MATOS, Henrique, BORRALHEIRO, Rogério, As Freguesias Do Distrito do Porto Nas Memórias Paroquiais de 1758, Memórias, História e Património, Braga, 2009, pp. 303-304; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza..., Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1706, tomo I; LEAL, Augusto Pinho, Portugal antigo e moderno: Diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico, Lisboa, Livraria Editora de Mattos Moreira & Companhia; 1873-1890, 12 volumes; LOPES, Eduardo Teixeira, Lousada e as suas freguesias na Idade Média, Lousada, Câmara Municipal de Lousada, 2004; http://www.cm-lousada.pt/VSD/Lousada/vPT/Publica/O+Concelho/AsFreguesias/Freguesia6/História+da+Freguesia, 19 de Janeiro de 2011.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Diocese do Porto: Secretariado Diocesano de Liturgia

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 10, n.º 236, fl. 1589-1594)

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Ana Filipe (IHRU) e Diocese do Porto 2011 (no âmbito da parceria IHRU / Diocese do Porto)

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login