Igreja Paroquial de Feteira / Igreja de Nossa Senhora das Mercês

IPA.00029066
Portugal, Ilha Terceira (Açores), Angra do Heroísmo, Feteira
 
Arquitectura religiosa.
Número IPA Antigo: PT071901030060
 
Registo visualizado 190 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Acessos

Ilha Terceira; Largo da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Angra)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1590, cerca - construção de uma capela dedicada a Nossa Senhora das Mercês, na Canada das Vinhas, pelo padre Manuel Martins Coelho Baião, vigário da Ribeirinha, paróquia onde o lugar da Feteira se integra, para ali rezar missa na época das vindimas (v. IPA.00034446); séc. 19 - é dono da capela Inácio Toste Parreira que concorda que nela se celebre missa nos dias de preceito, de modo a evitar que os moradores do lugar se desloquem 3 km até à igreja da Ribeirinha; 1863, 10 setembro - decreto eleva Feteira a curato sufragâneo de São Pedro da Ribeirinha, tendo então 17 fogos e 300 pessoas, provendo-se o padre Domingos Correia de Ávila; Inácio Toste Parreira continua a franquear a ermida ao culto, mas a sua pequena dimensão, insuficiente para estabelecer o Santíssimo Sacramento, obriga a recorrer à paróquia sempre que um enfermo quer comungar ou tem de aguardar que o cura celebre; decide-se assim construir uma igreja maior, escolhendo-se como local de implantação um lugar mais central e próximo da estrada real, visto que o proprietário da ermida se opõe que seja no local da capela; o Governador Civil nomeia uma comissão composta por elementos da cidade e da freguesia presidida pelo padre António Joaquim Borges, vigário de Cabo da Praia, para coordenar a construção; dá-se o início das obras; 1866 - paralisação das obras da igreja por falta de verba, tendo então construído apenas as paredes; pouco depois são reiniciadas pelo Padre António Augusto da Silveira, 5º cura da Feteira, com as esmolas obtidas na grande campanha promovida pela ilha; 1868, 20 maio - bênção da igreja, na véspera da quinta-feira da Ascensão, pelo cónego honorário António Joaquim Borges, tendo assistido à cerimónia o governador civil, 2º visconde de Bruges; 21 maio - celebração da primeira missa; como Inácio Toste Parreira se opõe à transferência da imagem de Nossa Senhora das Mercês da capela onde se encontrava, D. Maria Luiza Guedes Sampaio, viúva de Diogo Labatt, oferece a que tem na sua casa, sob a condição de se lhe manter a invocação de Nossa Senhora da Consolação, permanecendo todavia a invocação da igreja como Nossa Senhora das Mercês como orago da igreja; 1870, 09 abril - ata do Município de Angra refere a deslocação de um sino da extinta Câmara de São Sebastião para a igreja da Feteira; 1877 - construção da torre sineira, graças a um subsídio do Governo no valor de 300$000, aos donativos locais e 120$000 insulanos provenientes de terceirenses emigrados no Rio de Janeiro; constrói-se também uma tribuna e compra-se um sino, este último por 377$000; 1878 - Junta da Bula concede subsídios de 60$000 para aquisição de alfaias de primeira necessidade; 1881 - feitura do guarda-vento, custeado com o legado deixado à igreja por José Narciso Parreira, rico proprietário e membro da comissão das obras; 1891 - Feteira possui 107 fogos e 400 pessoas; séc. 19 - aquisição de outras alfaias com esmolas de devotos; 1906, 30 novembro - decreto régio eleva Feteira a freguesia independente; 1907, 11 maio - provisão do bispo D. João Cardoso Correia Monteiro cria a paróquia da Feteira; 1931, 04 abril - inauguração a instalação elétrica na povoação; 1947 - aquisição das imagens de Nossa Senhora de Fátima e de Nossa Senhora das Mercês pelo padre Soares Barbosa, que faleceu antes delas chegarem à localidade; 1951 - aquisição do primeiro passal, de pequenas dimensões; 1965 - aquisição de novo passal; 1968, 20 maio - inauguração oficial da igreja; 1980, 01 janeiro - terramoto causa grandes estragos na igreja, procedendo-se posteriormente à sua reconstrução.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

MERELIM, Pedro de - As 18 Paróquias de Angra. Sumário Histórico. Angra do Heroísmo: tipografia Minerva Comercial, 1974; SAMPAIO, Alfredo da Silva - Memória Sobre a Ilha Terceira. Angra do Heroísmo: Imprensa Municipal, 1904.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Paula Noé 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login