Moinho de Água da Curalha

IPA.00027118
Portugal, Vila Real, Chaves, Curalha
 
Arquitectura agrícola, vernácula. Moinho de água, de rodízio, de planta rectangular disposta perpendicularmente ao curso de água, com fachadas em alvenaria de granito e cobertura em telhado de duas águas. Fachada principal, oposta ao rio, e a posterior terminadas em empena, a primeira rasgada por porta de verga recta e a segunda por fresta; as fachadas laterais são cegas, possuindo na lateral direita, um dos lados maiores do rectângulo, cinco caboucos, de verga recta, encimados por arcos de descarga, sobre silhares irregulares, interiormente com cobertura plana e com cubos individualizados para cada cabouço, de pedra, com bucheiro rectangular.
Número IPA Antigo: PT011703100158
 
Registo visualizado 316 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Extração, produção e transformação  Moagem    

Descrição

Planta rectangular irregular, simples, com cobertura homogénea em telhados de duas águas, e alpendre adossado parcialmente a N., de uma água. Fachadas de pano único, em alvenaria de pedra; a principal, virada a N., termina em empena e é rasgada por portal de verga recta, descentrado, com porta de ferro, tendo a verga e os silhares do lado esquerdo inscritos; sobre parte da verga, apoia-se coberto rectangular, formando alpendre, apoiado ainda frontalmente em pilar não afeiçoado e lateralmente em muro de pedra miúda. Fachada lateral esquerda cega com chanfro no cunhal SE. e a posterior, terminada em empena, é rasgada por fresta. A fachada lateral direita é igualmente cega, mas, inferiormente rasgam-se, ao nível do solo, as cinco aberturas dos caboucos, de verga recta encimada por pequenos arcos de descarga, apoiados em blocos de pedra irregulares, dispostos na transversal; apresentam cobertura plana em lajes rudimentares. Dois dos caboucos ainda conservam os veios, que se fixavam às mós, a pela e os próprios rodízios, metálicos, com suas penas, que giravam no interior dos caboucos sob a acção da água precipitada pelo cubo, com bucheiro rectangular.

Acessos

Caminho de terra a partir da EN 103. WGS84: 41º42'43.41''N., 7º30'57.88''O.

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado, na margem N. do Rio Tâmega, num esporão avançado no leito do rio, sobre soco de pedra niveladora do declive, a uma cota de 349 m, com bom enquadramento paisagístico, junto ao qual existe açude; paralela à fachada lateral esquerda existe passadiço de pedra que, continuando, constitui o muro de represar as águas. A porta do moinho é acedida por dois degraus. A jusante, a cerca de 100 m, ergue-se o Poldrado da Curalha (v. PT011703100159) e, um pouco mais afastado, a antiga ponte ferroviária do Tâmega, actualmente adaptada à circulação rodoviária (v. PT011703100156); para N. ergue-se a antigo apeadeiro do Tâmega (v. PT011703100155).

Descrição Complementar

A verga da porta tem a seguinte inscrição inserida em moldura gravada: R 1910 M B F. G (?) ... A jamba da porta tem dois silhares com várias inscrições, tendo no inferior a palavra ALVES.

Utilização Inicial

Extração, produção e transformação: moagem

Utilização Actual

Extração, produção e transformação: moagem

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1758, 9 março - o rio Tâmega, correndo de N. para S., divide o termo da Curalha do termo de Vila Nova, Bobeda e Moure; segundo o padre António Rodrigues, nas Memórias Paroquiais da freguesia, não há nele pescaria senão nas presas que se fizeram, para os moinhos, os quais são dos donos dos moinhos; há cinco moinhos que moem "pão" baixando de águas; 1910 - data inscrita na verga da porta; posteriormente, construiu-se o alpendre junto à porta.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de granito aparente; veios dos mecanismos de moagem em madeira; rodízios em ferro; cobertura de telha.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2006.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Paula Noé 2009

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login