Termas da Curia

IPA.00026444
Portugal, Aveiro, Anadia, União das freguesias de Tamengos, Aguim e Óis do Bairro
 
Arquitectura de saúde e assistencial. Termas integradas num parque de 14 ha., localizado junto do Curia Hotel Palace.
Número IPA Antigo: PT020103110081
 
Registo visualizado 325 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício e estrutura  Saúde  Termas    

Descrição

Acessos

Lugar da Curia

Protecção

Em estudo

Enquadramento

Urbano. No parque florestado de 14 hectares, encontram-se os edifícios termais, que conservam a sua arquitectura Arte Nova, a monumental buvete, o casino desactivado, os antigos balneários e a velha casa de chá à beira de um lago artificial que serpenteia entre o arvoredo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Saúde: termas

Utilização Actual

Saúde: termas

Propriedade

Privada: Pessoa colectiva

Afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1863 - o engenheiro francês Chapelle, contratado para a construção da linha férrea do Norte, aplicou as águas da poça da Curia da Mata, nascente utilizada por residentes da região em doenças de pele e reumatismo, num tratamento de um "mal que tinha nas pernas". Os bons resultados obtidos depressa se espalharam e a fama curativa das águas não parou de crescer; 1897 - Luiz Navega data estudante de medicina, decidiu investigar a qualidade das águas, da já existente estância termal, com a ajuda Charles Lepierre; 1900 - Luiz Navega cria a Sociedade das Águas da Cúria, tendo-se construído o primeiro balneário termal; 1902, 31 de Dezembro - obtém alvará régio de concessão de exploração da Águas da Curia, pelo Rei D. Carlos, publicado no DG, n.º12, de 16 de Janeiro de 1903; 1903 - inauguração de um segundo balneário; 1913 - foi inaugurado um novo balneário; 1914 - foi inaugurada uma nova buvete; séc. 20, década de 20 - o balneário seria reformado e ampliado e o empresário Alexandre de Almeida investiria num novo hotel, o Palace; 1934 - é inaugurada uma piscina desportiva e de lazer nos jardins do Hotel Palace, concebida numa arrojada forma de navio, que se tornou o centro de animação das termas nas décadas seguintes; 1935 - estudo geológico da zona executado por Freire de Andrade para um projecto de novas captações para abastecimento do balneário; 1936 - é feito o estudo da radioactividade das suas águas por Pinto Bastos; 1993 - construído um novo balneário, mas essa década não foi favorável para a Sociedade Águas da Curia. A queda na procura de um termalismo tradicional, a custosa manutenção do parque e do seu património construído colocaram a sociedade numa situação financeira difícil que só nos últimos anos se têm vindo inverter, com apoios comunitários e a aposta em novos programas termais de turismo de saúde. Para esta revitalização contribuiu também a construção de um campo de golfe, iniciativa concertada dos Hoteleiros, da Câmara e da Junta de Turismo em parceria com a Sociedade.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

http://www.aguas.ics.ul.pt/aveiro_curia.html (05-02-2009)

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Cecília Matias 2008

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login