Casa dos Arcos

IPA.00002578
Portugal, Viseu, Santa Comba Dão, União das freguesias de Santa Comba Dão e Couto do Mosteiro
 
Casa nobre maneirista e barroca com vãos de molduras rectangulares simples; alpendre de colunas toscanas; arcadas a pleno centro desprovidas de decoração. Capela barroca e rococó: volutas no portal, janela e empena da frontaria; frescos de arquitecturas perspectivadas na abóbada e elementos de talha rococó com finas volutas, faixas vegetalistas e grinaldas de flores.
Número IPA Antigo: PT021814040007
 
Registo visualizado 411 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre    

Descrição

Solar de planta rectangular em arco, irregular, com Capela adossada a N. de planta longitudinal de 2 rectângulos justapostos correspondentes à nave e capela-mor. Massa horizontalista de volumes articulados, de coberturas diferenciadas com telhado a 3 e 2 águas. Frontaria a O. com embasamento, 5 panos divididos por pilastras e 2 pisos; ao centro portal de moldura rectangular encimado por inscrição e frontão arqueado a circundar pedra-de-armas, ladeado por óculos elípticos; remate em cornija, elevando-se em arco pleno; 1º pano à dir.: 1º piso com 2 janelas de moldura rectangular com 2 mísulas onde se apoiam as varandas de portas rectangulares do 2º piso; 2º pano à dir.: 1º piso 2 janelas iguais às anteriores e 1 arco recto de acesso à arcada S.; 2º piso com 3 varandas idênticas às anteriores; 1º pano à esq.: 1 janela de moldura rectangular em cada piso; 2º pano à esq.: no 1º piso uma porta de moldura rectangular e 1 óculo circular; no 2º piso 2 janelas de molduras rectangulares e 1 quadrada; fachada da Capela: embasamento elevado; 1º piso com portal de moldura assente no embasamento; lintel arqueado em cortina com pequenas volutas e intradorso em arco rebaixado; frontão baixo em cortina; no 2º piso janela em arco rebaixado de moldura arqueada inferiormente com 2 pequenas volutas tangentes; remate em empena polilobada com volutas e óculo de moldura elíptica, ladeada de pináculos sobre os cunhais e encimada de cruz pétrea. Fachada N.: 1º piso adossado a corpo angular coberto por terraço; 2º piso com chanfro à esq., 1 janela reentrante de moldura rectangular e remate em cornija. Fachadas N., E. e S. da Capela adossadas ao edifício das Finanças que possui a NO. 1 porta de arco polilobado rebaixado decorado no lintel com um peixe e uma tartaruga. Fachada E.: 3 panos divididos por faixas de caixa murária, com embasamentos; remate em beiral; pano central: 1º piso com série de 5 arcos a pleno centro, envidraçados; 2º piso: varanda envidraçada com 7 tramos divididos por pilares de cimento; 2 panos laterais: 1º piso com 2 arcos e 2º piso com varanda idênticos aos anteriores, de 3 tramos; à esquerda muro pétreo de reforço. Fachada S.: antecedida de 2 degraus; 1º piso: arcada de 3 arcos a pleno centro para a qual abrem 4 portas rectangulares, estando 1 a E.; cobertura de lajes monolíticas assentes em cachorrada, que constituem o piso do 2º registo; à dir. pano de muro de reforço, escalonado; 2º piso: varanda alpendrada com 5 colunas toscanas sobre plintos paralelepipédicos; 2 portas de molduras rectangulares na parede S. e 5 modilhões para assentar bancos; 1 porta a O. e 1 a E., de molduras rectangulares; à dir. pano de muro encimado por grande chaminé. Interior: 1º piso constituído por 9 dependências de plantas irregulares (7 armazéns, 1 Café e 1 Restaurante). Restaurante situado na galeria da arcada E., com elementos da construção original: parede interior de pedra, com 5 portas e 1 janela rectangulares e uma cachorrada que apoia o vigamento do tecto. No átrio de entrada, a O., mantém-se a escadaria de 2 lanços paralelos com balcão e corrimãos de pedra com volutas e 3 portas com molduras rectangulares. No 2º piso 10 dependências da Biblioteca Municipal, de plantas irregulares, que do original possuem apenas as molduras rectangulares de pedra das portas e janelas, algumas com conversadeiras, e uma grande lareira a S.. Capela: nave única iluminada por 2 janelas, a O. e N.; pavimento de lajes graníticas; cobertura de abóbada de berço pintada com arquitectura perspectivada com vários Santos e Anjos a enquadrar cena da Assunção de Nossa Senhora; a O coro-alto com porta a S.; na parede S. porta de acesso à Sacristia, com frontão de talha polícroma a flanquear cartela e encimado de florão; 3 degraus antecedem o arco triunfal, a pleno centro, com pedra de fecho constituída por uma cartela em talha polícroma com relevo das almas do purgatório; capela-mor com abóbada de berço e parede E. ocupada pelo altar-mor e retábulo de talha dourada e polícroma com 2 colunas decoradas com grinaldas, sobre plintos, ladeadas de pilastras encimadas de volutas verticais, a enquadrar o camarim sob um resplendor com cabeças de anjos.

Acessos

Rua Santa Columba

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 32 973, DG, 1.ª série, n.º 175 de 11 agosto 1943 / ZEP, Portaria, DG, 2.ª série, n.º 247 de 24 outubro 1966 *1

Enquadramento

Urbano. Em plano inclinado para S.. Pouco destacado; circundado por arruamentos a N. e O., jardim do Palácio da Justiça a S., pátio a E. e adossado ao edifício da Repartição de Finanças a NE..

Descrição Complementar

Sobre o lintel do portal do Solar há a seguinte inscrição epigráfica: NO ANNO DE 1692, HONROU ESTA CASA A S MA. S. D. CATARINA R. DA GRAN BRETANIA / NO DE 1704 O S MO. S. R. D. PEDRO II DE PORTUGAL E 2 DIAS DIPOIS O S MO. S. CARLOS III HOJE / EMPARADOR DOS ROMANOS NO DE 1738 O S D. MANOEL INFANTE DE PORTUGAL FAZEN / DO TODOS GRANDES HONRAS AOS POSUIDORES DESTA CASA PERMITINDO LHE PAGA / CEM NO ESTRIBO E SER VICEM A MEZA. No eixo do mesmo, sob a cornija arqueada, 1 pedra-de-armas com escudo esquartelado de Sousas de Arronches, Macedos, Almeida e Vasconcelos, elmo com coroa de barão e tendo como timbre castelo dos Sousas. Das dependências da Biblioteca Municipal fazem parte: auditório; sala de leitura infantil; sala de vídeo; sala de audiovisuais; depósito de Reservados, com o legado do Cónego Alves Mateus composto essencialmente por literatura clássica e algumas 1ªs. edições; sala de leitura geral, com exposição de bustos e medalhas do escultor David Oliveira.

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Cultural e recreativa: biblioteca / Comercial: estabelecimento de restauração

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 17 - construção do solar pelos senhores de Moçâmedes, proprietários de terras na região, de que foi herdeira D. Mariana de Vasconcelos; 1692 / 1693 - A casa pertence ao filho de D. Mariana, António de Sousa e Vasconcelos, Capitão-mor de Santa Comba Dão, e nela se hospedou em Janeiro D. Catarina de Bragança, viúva de Carlos II de Inglaterra; séc. 18 / 19 - designada por Casa de Santa Comba; 1704 - Aqui estiveram D. Pedro II de Portugal e o Imperador Carlos III; 1738 - D. Manuel, infante de Portugal, hospedou-se no solar; 1834 - O então proprietário, José Maria de Sousa Macedo Almeida e Vasconcelos, 1º Barão de Santa Comba Dão efectuou algumas obras; 1889 - O solar é vendido a um particular; 1935 - A casa muda de proprietário, sucedendo-se várias obras com objectivos de reutilização, como por exemplo a Biblioteca Municipal; 1967 - O Estado adquire a Casa dos Arcos ao então proprietário José Maria de Matos, através da DGEMN; 1937 - a JAE projecta alargar as ruas que circundam a casa, cortando a fachada O., projecto alterado pela DGEMN; 1959, 27 julho - fixação da Zona Especial de Proteção conjunta do Pelourinho e Casa dos Arcos, publicada em portaria, DG, 2.ª série, n.º 174, revogada pela portaria de 1966; 1968 - anteprojecto de adaptação a Pousada e Biblioteca pelo arqt. Santos Costa; 1972/1973 - O edifício é ocupado pela biblioteca, pela Filarmónica e pela sede do clube desportivo; 1973 - projecto para transformar a casa em Liceu, mantendo-se o café; 1974 - o imóvel é sucessivamente ocupado pelo Clube de Futebol, A.N.P., Biblioteca, Banda Musical, sedes do P.P.D. e do P.S. e Escuteiros; faz-se novo contrato com o arq. Jorge Santos Costa e o eng. Carlos Amaro Ferraz para transformar a Casa dos Arcos em Pousada, mas os projectos e estudos técnicos foram suspensos em Julho; 1976 - incêndio no anexo da Casa dos Arcos, destruindo parcialmente o tecto, soalhos e paredes interiores; cria-se um grupo de trabalho para estudar a conservação e reutilização com Escola, Biblioteca-Museu e Turismo, continuando o edifício em estado de ruína;

Dados Técnicos

Materiais

Caixas murárias de alvenaria granítica de aparelho irregular, rebocado; molduras, arcos, pilastras, cunhais, colunas, pavimentos, muro, chaminé, parede interna da arcada E., cachorros e modilhões de cantaria e alvenaria granítica regular. Pilares de cimento. Cobertura da arcada S.. de lajes monolíticas graníticas; cobertura da capela de pedra rebocada com frescos. Pavimentos da Biblioteca de tijoleira e coberturas de madeira. Cobertura exterior de telha.

Bibliografia

SILVA, António Lambert Pereira da, Nobres Casas de Portugal, Porto, s.d., pp. 257-264; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/72876 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC/DE, DGEMN/DREMC/DM, DGEMN/DSPI

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC, DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

DGEMN: 1936 / 1937 - Remontagem das arcadas do lado E.; 1958 - O Café Arcada instalado no r/c colocou uma antena de TV na fachada e a DGEMN requereu a sua mudança para local menos visível; 1974 - Reparações de telhados, caixilharias e rebocos exteriores; 1977 - Adaptação do anexo NE. aos serviços da Secção de Finanças e Tesouraria da Fazenda Pública; 1978 - Projecto de instalação de um estabelecimento de hotelaria; obras de reparação e conservação: demolição de paredes e pavimentos de madeira, escoramento, sapatas, vigas, pavimentos e pilares de betão, regularização de paredes, revisão da cobertura; 1979 / 1980 - Remodelações no anexo; restauro de coberturas e estruturas de madeira, demolição de paredes de alvenaria e taipa; na capela apeiam-se colunas, escora-se o tecto, consolida-se o arco, regularizam-se paredes internas e externas, colocam-se cintas de travamento, fazem-se pilares e vigas de betão; 1981/1982 - Adaptação da ala E. do 1º piso a Restaurante; demolição de escada no alçado posterior e do muro de pedra; execução de parede dupla de tijolo, restauro das estruturas de madeira e telhado da capela-mor; parede dupla, lajes e pilares de betão na galeria E. do 2º piso; picar rebocos; tectos de madeira; reparação das colunas da fachada S.; 1991 / 1992 / 1993 - O 2º piso é adaptado a Biblioteca Municipal; 1994 - colocação de novo pavimento na Capela, de lajes graníticas polidas.

Observações

*1 - Zona Especial de Proteção conjunta do Pelourinho e Casa dos Arcos.

Autor e Data

Madeira Portugal 1991 / Lina Marques 1995

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login