Capela de Santo António / Capela de Nossa Senhora das Mercês

IPA.00002432
Portugal, Lisboa, Sintra, Colares
 
Arquitectura religiosa, rural e de grande simplicidade. Decoração azulejar seiscentista combinando um revestimento de padronagem com painéis de composição figurativa. Interessante exemplo de revestimento azulejar seiscentista composto por azulejos de padrão nos quais se integram painéis de composição figurativa, formando um conjunto de grande riqueza cromática e impacto cénico.
Número IPA Antigo: PT031111050026
 
Registo visualizado 301 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única, capela-mor rectangular e dependências de apoio anexadas a N. Volumes articulados e coberturas diferenciadas com telhado de 1 e 2 águas. Frontespício orientado a O. e terminado em empena; portal axial entre pilastras, com verga recta encimada por frontão triangular sobrepujado por nicho com imagem de Santo António e janela quadrangular. Remata a empena pequena cruz. Interior revestido a azulejos de padrão organizados em 2 níveis, sendo o superior policromo, no qual se integramr vários painéis, também policromos, alusivos a Santo António. Coro-alto, 2 vãos colaterais de portas hoje entaipadas e púlpito quadrado com teia de madeira no lado do Evangelho; abóbada de berço decorada com motivos geométricos em estuques. Capela-mor forrada a azulejos de padrão, em 2 andares, e abóbada de berço formando caixotões decorados com motivos geométricos; retábulo de talha azul e branca com 2 mísulas enquadrando nicho, todos com imagens; remate em frontão interrompido. Porta no lado da Epístola faz a comunicação com a sacristia.

Acessos

Lugar do Penedo. WGS84 (graus decimais) lat.: 38,793803; long.: -9,455236

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 44 075, DG, 1.ª série, n.º 281 de 05 dezembro 1961 (capela) / IM - Interesse Municipal, Edital de 17 janeiro 2007 (recinto de festas e parte do Muro do Derrete) / Incluído na Área Protegida de Sintra - Cascais (v. PT031111050264)

Enquadramento

Urbano, isolado. Implantação harmónica num terreiro enquadrado por casas rústicas, no topo de um pequeno esporão que avança para NO. da Serra de Sintra, e à volta da qual se desenvolveu a aldeia do Penedo.

Descrição Complementar

AZULEJO: NAVE e ARCO TRIUNFAL: totalmente revestidos de azulejo seiscentista (2º quartel séc.17) de padrão - enxaquetado simples e compósito - no qual se integram 7 painéis de composição figurativa ilustrando episódios da vida de Santo António. Os azulejos de enxaquetado simples, em azul e branco, revestem a parede até 1.70m de altura; uma cercadura de grifos C-60 sublinha a separação com o revestimento da parte superior da parede, em enxaquetado compósito com azulejos P-11. Integrado neste revestimento destacam-se os painéis de composição figurativa: ARCO TRIUNFAL : Descida da Cruz com Santo António e o Menino, 13 x 8 azulejos; NAVE: lado da epístola: Santo António cura uma criança; O milagre da mula; Santo António ressuscita um morto; lado do evangelho: Santo António pregando aos peixes; Santo António e o Menino Jesus; Sermão de Santo António numa igreja; todos os painéis têm 10 x 8 azulejos; um friso do tipo F-10 separa-os do revestimento de padronagem.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

1647 - Francisco Nunes Dias, da Ribeira do Valente, e sua mulher Maria dos Anjos Gonçalves Perpétua, instituem capela na ermida de S. António do Penedo; séc. 17, 1ª metade - remodelada e revestida com azulejos de padrão; 1793 - Conserto do sino; 1821 - Conserto dos telhados, alguns reparos interiores e caiação interior e exterior; 1832 - pintura do tecto; 1838 / 1939 - Obras várias; 1841 - conserto de uma fechadura; 1844 / 1946 - Conserto do sino e caiação interior e exterior.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Alvenaria rebocada e cantaria calcária. Azulejos, madeira e estuques pintados. Pavimento de madeira e cobertura de telha.

Bibliografia

CABRAL, Maria Elizabeth Figueiredo e NUNES, Maria Luisa Abreu, Contributos para o estudo das festividades populares em louvor do Divino Espírito Santo no lugar do Penedo (Colares - Sintra) in Sintria, Revista de estudos de arqueologia, Arte e Etnologia, Tomo I, Sintra, 1982 - 1983, pp. 803 - 1027; MECO, José, Azulejaria Portuguesa, Lisboa, 1989.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1986 - ramal de ligação de energia eléctrica, recuperação do tecto da sala do antecoro, obras de consolidação na balaustrada, frontão e cruz, obras de recuperação da cobertura e beneficiação da instalação eléctrica.

Observações

Ainda hoje se realizam na aldeia do Penedo as tão famosas festas em louvor do Divino Espírito Santo. A capela é de dupla invocação: Nossa Senhora das Mercês e Santo António. É possível que já em 1527 existisse no Penedo uma capela, pois esta era a 3ª maior povoação da freguesia de Colares e já ali existiam 2 clérigos; com o aumento de importância no séc. 17 tornava assim fundamental a sua reformulação.

Autor e Data

Paula Noé 1990 / Paula Correia 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login