Pelourinho de Paredes de Coura

IPA.00002232
Portugal, Viana do Castelo, Paredes de Coura, União das freguesias de Paredes de Coura e Resende
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, seiscentista. Pelourinho de bola, com soco quadrangular de três degraus, fuste cilíndrico e remate em esfera encimada por pináculo cónico e bola, ostentando elemento heráldico. Caracteriza-se pela frieza e sobriedade estilistica, possuindo na esfera as armas de Portugal.
Número IPA Antigo: PT011605160003
 
Registo visualizado 499 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bola

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de três degraus escalonados, encimados por base paralelepipédica, lisa, onde assenta coluna, de base dórica, fuste circular liso e capitel formado por algumas molduras côncavas e convexas. Remate em esfera lisa sobreposta na face frontal por escudo, de formato francês, com as armas de Portugal, encimado por pirâmide e bola.

Acessos

Paredes de Coura, Largo Visconde de Moselos. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,912307; long.: -8,560311

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto. nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado. Ergue-se no centro da vila, num largo espaçoso, pavimentado a calçada à Portuguesa, formando motivo geométrico, junto à antiga cadeia, o actual posto de turismo (v. PT011605160009) e à Câmara Municipal.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia Local, Artº 3º, Dec. 23 122 de 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 17 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1515, 134 abril - D. Manuel concede foral à Terra de Coura elevando-a a vila; séc. 17 - provável construção do pelourinho; 1758, 02 abril - segundo o abade Francisco Xavier de Brito nas Memórias Paroquiais, a freguesia tinha como donatário o visconde de Vila Nova de Cerveira, que apresentava meirinho e escrivães, ainda que o juiz e oficiais da câmara fossem apresentados pelo rei, sendo o juiz escolhido entre as principais pessoas do concelho; era da comarca de Valença e tinha 155 vizinhos, 371 pessoas de sacramento, 89 menores e ausentes e 80 meninos sem sacramento; 1875, 15 setembro - decreto com criação da comarca de Paredes de Coura, passando a vila partir de então a ter a nova denominação de Paredes de Coura; 1909 - sob diligência do Presidente da Câmara, descobriram-se e reuniram-se os vários fragmentos dispersos do pelourinho procedendo-se então à sua reconstituição.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; cimento numa junta.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de - Tesouros Artísticos de Portugal. Porto: 1988; CAPELA, José Viriato - As freguesias do distrito de Viana do Castelo nas Memórias Paroquiais de 1758. Braga: Casa Museu de Monção; Universidade do Minho, 2005; CHAVES, Luís - Os Pelourinhos do Distrito de Viana do Castelo. Lisboa: s.d.; idem - Os Pelourinhos. Lisboa: 1938; COSTA, J. E. Caldas da - Foral da Terra de Coura. Braga: Câmara Municipal de Paredes de Coura, 1987; CRESPO, José - "Pelourinhos. Cruzeiros. Forcas" in Cadernos Vianenses. Viana do Castelo: 1981, Tomo 6, pp. 97-112; CUNHA, Narcizo C. Alves da - No alto Minho. Paredes de Coura. Braga: 1979; MALAFAIA, E.B. de Ataíde - Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral. Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SOUSA, Júlio Rocha e - Pelourinhos do Distrito de Viana do Castelo. Viseu: 2001.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login