Quinta de Santo Amaro / Centro Cultural Juvenil de Santo Amaro / Centro de Cultura Juvenil de Santo Amaro

IPA.00021955
Portugal, Setúbal, Almada, União das freguesias de Laranjeiro e Feijó
 
Quinta residencial oitocentista com casas com pequena capela de espaço único incorporada á casa de habitação, junto a dependências de lavoura, de finais do século 19, em simplicidade estrutural, com faixas verticais e horizontais a esquadriar as fachadas de sóbria austeridade, onde se absorveu o valor erudito das sacadas, com algum formulário neoclassicizante na compartimentação dos seus panos através de pilastras e nos frontões angulares, ainda que, com rejeição à simetria na decoração dessas fachadas, em expressão plástica tendencialmente geometrizante, com telhados à portuguesa de duas e três águas. Interiores com grandes espaços cobertos, recorrentes da tecnologia do ferro e do betão, com estrutura de ferro à vista. O registo de azulejo é de figuração azul sobre esmalte branco de ornamentação neoclássica.
Número IPA Antigo: PT031503100047
 
Registo visualizado 462 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa    

Descrição

Complexo de edifícios composto por vários núcleos de plantas longitudinais: CORPO C (antiga casa de habitação que integra a antiga capela orientada a O.) em L com desenvolvimento O. / E. e N. / S.; casas de lavoura compostas por CORPO B (antigo lagar) estabelecido a O. e CORPO A (antigo adega e celeiro) disposto a E. e um pátio com portão e um jardim circundante. O complexo é composto de modo irregular, não havendo total coincidência exterior / interior, articula volumes em justaposição e tem corpos de massa simples, com disposição em horizontalidade. As coberturas são diferenciadas em telhados de 4 águas em pavilhão no telheiro dos tanques, de 3 águas nos corpos adossados em L e de 2 águas no edifício de 3 pisos. Em cada um dos corpos destacam-se grande número de vãos de diversas tipologias, todos emoldurados com cantaria; as portas são rectangulares, com excepção para a porta da capela que tem verga ondulada igual às das pequenas fenestrações que a ladeiam; as janelas são rectangulares, umas colocadas com verticalidade outras de dimensões mais reduzidas colocadas com horizontalidade, havendo a destacar as circulares, colocadas superiormente, formando como que um friso. Os remates dos diversos corpos são em empena angular simples, em frontão angular, em empena rectilínea simples ou em platibanda com cornija. Sobressaem nas fachadas vários canos de algerozes. O CORPO A é de 3 pisos diferenciados por frisos longitudinais, com as 4 fachadas de um só pano delimitados por cunhais; em cada uma das fachadas a E. e a O. estão adossados um lance de escadas com guardas de ferro de acesso ao piso intermédio. A fachada principal dos CORPOs B e C são de um piso, está dividida em 7 panos cujos elementos divisores são frisos verticais, destacando-se no central o remate em empena angular com letreiro sobre a porta com os dizeres "QUINTA DE SANTO AMARO" e um registo azulejar sobre a porta da capela representando o orago. O CORPO C tem 2 pisos cave e térreo, adaptando-se ao desnível do terreno formando uma cave alta na banda S., tendo acesso exterior ao segundo piso, por lance de escadas. As articulações interior / exterior são desniveladas. Os espaços INTERIORES são diferenciados com grande diversidade de divisões que se encontram, na sua maioria descaracterizados. Permanece o espaço da antiga capela e a adega onde se destacam dois lagares de produção de vinho em cantaria numa grande nave com pavimento de lajedo grande também de cantaria, tendo a cobertura em tecto de duas abas com vigamento de madeira de castanho à vista, cujas linhas de asnas vencem um vão de dimensões consideráveis; existe uma outra cobertura semelhante na sala de biblioteca; referencia-se ainda um pequeno lance de escadas em cantaria antiga.

Acessos

Estrada dos Álamos; Avenida Professor Ruy Luís Gomes, n.º 2; Avenida 23 de Julho, junto ao Terminal dos TST (no limite do Concelho)

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Peri-urbano, em planície, isolado, com pequeno jardim formal na entrada do pátio a E., tendo junto um núcleo de lavadouros com telheiro, uma estufa fria de construção recente, um tanque junto à estufa, com muro em redor, que separava a envolvente directa da casa do núcleo agrícola a um plano inferior; o conjunto da quinta encontra-se delimitado por arruamentos, excepto do lado N., parcialmente delimitado por um muro de suporte que rodeava o corredor de acesso automóvel ao pátio principal de acesso, destacando-se um espaço de jogos a uma cota de implantação inferior.

Descrição Complementar

Espaço envolvente: na fronteira S. com o arruamento principal enquadra-se uma área de jardim semi-formal com pequenas estadias individualizadas e com eixo pedonal a partir do qual se estabelece ligações transversais a uma área de recepção a S. / N. e aos outros núcleos existentes; a uma cota inferior à plataforma envolvente do edifício principal, destaca-se um campo polidesportivo descoberto; existe um pequeno lago em forma de estrela de oito pontas, coberto de azulejaria, com repuxo de água, no pátio da entrada principal do centro; destaca-se um muro de vedação da propriedade, nos limites O. e N..

Utilização Inicial

Residencial: quinta

Utilização Actual

Cultural e recreativa: edifício multiusos

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Arq. João Lucas (Projecto de Recuperação - DOMH); Arq. António Piano (1998 - projecto dos espaços envolventes.).

Cronologia

Séc. 19 (conjectural) - Construção da quinta com casa de dois pisos e capela, com dependências de lavoura, adega, cavalariça, lavadouro e outras; 1849 - notificada a existência de uma quinta de Santo Amaro junto da confluência da Azinhaga do Rato com a Estrada dos Álamos (S.Q.A., 1849; PEREIRA, 1961); 1866 - inicialmente e ainda nesta data, o topónimo "Laranjeiro", só respeitava a envolvente da Quinta de Santo Amaro, que se estendia até à Estrada dos Álamos; séc. 20, década de 80 - desenvolvimento de esforços pela Câmara Municipal de Almada no sentido de proceder a uma intervenção que qualificasse a Quinta Rural de Santo Amaro, com apresentação de uma Candidatura a Fundos da Comunidade Europeia; 1996 - o conjunto edificado da quinta apresenta-se em adiantado estado de degradação construtiva; apresentação de nova Candidatura para reabilitação da Quinta, apresentada no âmbito do Programa Intervenção Operacional Renovação Urbana - Reabilitação de Espaços Urbanos Degradados da Freguesia do Laranjeiro, tendo sido aprovada; 1998, 25 de Janeiro - início das obras, sobre empreitada da "Quinagre. Estudos e Construções, L.da". 1998, Março - apresentação de um projecto de obras de reabilitação e reconversão do espaço da quinta, tendo em vista a futura utilização do conjunto de edifícios para um Centro de Cultura Juvenil; 2000, 14 de Outubro - acabada a intervenção, assiste-se à inauguração do Centro Cultural Juvenil de Santo Amaro.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria: de rocha sedimentar do tipo arenito, de tijolo de dois furos, de tijolo maciço de face à vista com reboco de argamassa de cimento e areia; pedra: cal (viva, apagada, em pó, em pasta), calcária "azulino de Cascais", entulho, calçada de vidraço, saibro; cerâmica: tijolo maciço, tijolo cerâmico vidrado, tijoleira de revestimento de parede e de pavimento, mosaico hidráulico marmoreado de cor preta, azulejo de faiança fina, ladrilhos de grés fino, telha de barro vermelho "marselhesa"; betão: simples, ciclópico, betonilha: vidro simples, duplo; madeira: faia maciça e folheada, carvalho maciço (tacos), casquinha; aglomerado de cortiça; placas de gesso cartonado; metal: chapa zincada, ferro galvanizado; estuque pintado; produtos sintéticos: tela de PVC.

Bibliografia

SOUSA, R. H. Pereira, Almada: Toponímia e História das Freguesias Urbanas, Almada, 1985; TIAGO, Vítor Salema, Conhecer para intervir, CMA, Almada, 1994; PIANO, Arquitecto António, Espaços exteriores envolventes da Casa da Juventude em Santo Amaro - Laranjeiro, e Reabilitação e Reconversão da Quinta de Santo Amaro "in" Projecto de execução do Centro Cultural Juvenil e logradouro da Quinta de Santo Amaro / Empreitada / Pasta 1 / 4/98 / 10.04.01.06 / 10.04.01.07, C.M.A., Almada, 1998; Equipamentos municipais de juventude - Espaços de Formação, Boletim Municipal, n.º 53, Almada, Outubro, 2000; Dar conta do trabalho autárquico - Deputados municipais visitam concelho, Boletim Municipal, Dezembro, 2000; Casa de Santo Amaro já é Centro Cultural, Boletim Informativo, n.º 11, Almada, Janeiro, 2001.

Documentação Gráfica

DGEMN: DSID; C.M.A. (Arquivo administrativo interno: edifício n.º 39); Centro Cultural da Quinta de Santo Amaro.

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID; C.M.A. (Arquivo fotográfico interno: rolo 39); Centro Cultural da Quinta de Santo Amaro.

Documentação Administrativa

DGEMN: DSID; C.M.A.: D.O.M.H. - D.O. (Projecto de execução do Centro Cultural Juvenil e logradouro da Quinta de Santo Amaro / Empreitada / Pasta 1 / 4/98 / 10.04.01.06 / 10.04.01.07); Centro Cultural da Quinta de Santo Amaro: arquivo interno.

Intervenção Realizada

CMA: 1998 / 2000 - Consolidação de património histórico com obras de reabilitação e reconversão adequadas à instalação de um Centro Cultural Juvenil, conduzidos sob rigorosa observância da traça e características originais do imóvel, com conjugação espacial e funcional entre os edifícios existentes e com introdução de novos corpos, constituindo-se um novo relacionamento dos edifícios com as suas áreas envolventes. Logradouro: terraplanagens, limpeza e devastação do terreno envolvente; decapagem de terreno arável, modelação de terreno e protecção de vegetação existente. Aspectos construtivos: refechamento de algumas fissuras e microfissuras em paredes estruturais que se encontravam em bom estado de conservação; colocação de forros superiores tipo sub-telha apoiados nas asnas preexistentes que apresentavam boa concepção e se encontravam em relativo bom estado e que foram substituídas nos casos de não serem passíveis de reparação; substituição ou reparação dos ripados existentes; betumagem de lajedo partido; levantamento do lajedo para implantação de rede de drenagem com escoamento para o exterior e ligação à rede pluvial, complementada com rede de drenagem exterior junto aos edifícios e com escavação de um fosso em redor daqueles de modo a implantar um geodreno com drenagens para rede pluvial; impermeabilização da superfície das paredes em contacto com o terreno; tratamento dos paramentos cujo reboco se encontrava em mau estado; limpeza com jacto de água das cantarias de portas, janelas, degraus e outros elementos; decapagem, metalização e pintura de elementos metálicos (gradeamentos, portões, tirantes, ferragens de caixilharia); implantação de nova caixilharia de madeira; compactação e impermeabilização dos pavimentos; substituição de trechos de cantaria; reparação de elementos de madeira preexistentes com substituição de alguns elementos. Instalações eléctricas e de segurança, detecção de incêndios, telecomunicações.

Observações

*1: Houve a reconversão do espaço para instalação de um Centro Cultural Juvenil baseado em quatro grandes áreas de actividade complementares: formação, lazer e animação, informação e serviços de apoio. Comporta um auditório (com capacidade para acolher espectáculos de dança, teatro ou música e uma lotação de 400 pessoas), uma sala-estúdio para ensaios e formação de dança ou teatro, cinco salas insonorizadas para ensaio de música, "atelier" de fotografia e serigrafia e três "ateliers" de trabalho e reunião, fonoteca, hemeroteca, videoteca, cujo piso superior aberto serve de galeria de exposições.

Autor e Data

Albertina Belo 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login