Igreja Anglicana / The Church of The Holy and Undivided Trinity

IPA.00020690
Portugal, Ilha da Madeira (Madeira), Funchal, Funchal (São Pedro)
 
Igreja protestante neorenascentista de planta centralizada, exteriormente quadrada, com fachada principal em galilé central sobre pilastras e colunas jónicas e interior percorrido por galeria, assente em colunas igualmente jónicas, que transforma em circular o espaço da nave, coberta por cúpula sobre tambor, pintada com motivos em "tromp l'oeil".
Número IPA Antigo: PT062203080121
 
Registo visualizado 344 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja protestante  

Descrição

Planta quadrada, centralizada, coberta por telhado de 4 águas de telha de canudo e zimbório, ligeiramente avançado para O., assente em tambor, rasgado por 8 janelas em meia laranja, com grade envidraçada em forma de leque e cobertura em "folha de flandres", de domo bastante abatido. Fachadas rebocadas percorridas por embasamento pintado a vermelho e rematadas por friso denteado, cornija pintada de vermelho, interrompida regularmente por gárgulas em carrancas, e platibanda, de friso superior também pintado a vermelho. Fachada principal virada a O. de 3 corpos, com os laterais ligeiramente avançados, com janela alta de guilhotina, moldura de cantaria do Porto Santo com filete exterior ressalvado, parapeito e cornija, encimada por rectângulo rebaixado na alvenaria, indicativo de andar superior; corpo central em galilé acedida por 3 degraus de cantaria cinzenta, suportada por pilastras laterais e duplas colunas jónicas e com arquitrave também em cantaria do Porto Santo. Fachada lateral N. dentro do mesmo esquema, de 2 pisos, tendo nos corpos laterais nichos em alvenaria semicilíndricos assentes em parapeito em cantaria cinzenta e encimados por janelas com molduras na mesma cantaria com filete relevado exterior; corpo central com 2 janelas altas com idênticas molduras, com parapeito e encimadas por janelas idênticas às dos corpos laterais. Fachada S., idêntica, mas com as janelas do piso térreo só com os parapeitos em cantaria, sem marcação das molduras e as do piso superior com marcação por pintura a cinza claro na alvenaria. Fachada posterior, virada a E., idêntica à virada a N., com os nichos substituídos por portas de acesso aos serviços da igreja com cornija. Acesso ao interior pela galilé, com chão de quadrados de mármore branco e cinzento e 3 portas: portal central de verga em cantaria cinzenta sobre duplas pilastras, estriadas, e assentes em bases ressalvadas; cornija em cantaria vermelha do Cabo Girão; portas colaterais mais simples. INTERIOR percorrido por galeria que transforma o espaço quadrangular em circular; no 1º registo assenta em 16 pilastras, embebidas na parede, e colunas, jónicas, pintadas a marmoreado muito suave e com capitéis a preto; no 2º apresenta vãos rectos ou de arco pleno, intercalados por pilares, com parapeitos decorados com motivos geométricos. Cobertura em cúpula apoiada sobre trompas de ângulo; tambor com trabalhos de estuque, pintura a marmoreado e moldura dos vãos em denteados; cúpula pintada em "tromp l'oeil", com flores inseridas em molduras geométricas e, ao centro, símbolo da Santíssima Trindade. No lado do Evangelho órgão de 3 castelos, o central proeminente, e no lado da Epístola capela lateral. A capela-mor, ladeada por púlpito em madeira e atril de águia, inscreve-se em duplo arco de volta perfeita, o exterior envolvido por palmeiras pintadas sobre fundo dourado, e precedida por teia em madeira; as paredes são revestidas a madeira e a cobertura em meia cúpula, pintada a azul e decorada com estrelas.

Acessos

R. do Quebra Costas 18

Protecção

Em vias de classificação

Enquadramento

Urbano, isolado em jardim empedrado a calhau rolado miúdo, com bancos, placas evocativas, pequeno lago e busto de D. Filipa de Lencastre, murado e com portão gradeado apoiado em pilastras de cantaria cinzenta para a R. do Quebra Costas. Junto à igreja, ergue-se a casa do presbítero, com placa de cobre gravada: "The Parsonage", protegida por idêntica grade, mas cega por chapa de ferro interior, tudo pintado a verde escuro, definindo um corredor de acesso ao jardim que rodeia o templo.

Descrição Complementar

A igreja encontra-se decorada dentro da austeridade anglicana, preenchida por bancos corridos com pequeno apontamento de talha para o corredor central e dotada de uma importante colecção de pequenas almofadas de ajoelhar bordadas. As paredes apresentam-se preenchidas com várias lápides e placas evocativas da passagem pelo templo de vários dignatários anglicanos. Também na entrada existe uma listagem dos presbíteros anglicanos que passaram pela Madeira desde a ocupação inglesa dos inícios do Séc. 19, em 2 quadros negros colocados sobre as portas laterais da galilé. A cúpula apresenta pintura de enorme riqueza decorativa, de modo a conferir-lhe grande profundidade. A capela-mor ostenta superiormente uma bonita pintura com elementos vegetais sobre fundo ouro, ao gosto da escola pré-rafaelista inglesa dos finais do Séc. 19 e duas importantes peças entalhadas em madeira aparente: um púlpito e um facistol em forma de águia, assim como 3 belas cadeiras ao gosto "Queen Anne", com espaldar de couro lavrado com as armas da família Ornelas. Paralelamente à parede onde se inscreve a capela-mor e o altar lateral corre o corpo de serviços da igreja, com acesso exterior pela fachada virada a E.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja protestante

Utilização Actual

Religiosa: igreja protestante

Propriedade

Privada: Igreja Anglicana

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Projecto do cônsul britânico Guilherme Veitch; escultor Anjos Teixeira.

Cronologia

1804 - presença na Madeira de Henrique Veitch como empregado da firma Pringle e do consulado britânico; 1807 - início de funções de Henrique Veitch como cônsul britânico; 1810 - aquisição do terreno às freiras de Santa Clara pela Feitoria Inglesa para a igreja do Funchal; 1815, 23 Ago. - passagem na Madeira do deposto imperador Napoleão Bonaparte, tendo o cônsul britânico Henrique Veitch ido visitá-lo a bordo da nau "Northumberland" e oferecido uma pipa de vinho da Madeira; 1820 - início da construção da igreja anglicana, tendo contribuído para a construção o rei Jorge III, duque de Wellington, lord Nelson, duque de Bedford e depois o rei Leopoldo I da Bélgica; 1822, Mar. - data da primeira missa celebrada no templo; 1830 - construção da grande residência do cônsul Veitch sobre a ribeira de Santa Luzia, hoje Instituto do Vinho da Madeira; 1844 - data da primeira representação iconográfica da igreja; 1857, 7 Ago. - falecimento do antigo cônsul britânico Henrique Veitch; Séc. 19, finais - pintura sobre o altar-mor; 1893, Mai. - data do 1º inventário de alfaias; Séc. 20, inícios - execução ou reformulação da casa do presbítero; 1939, 8 Nov. - George Walter oferta à igreja órgão executado em Borwicks, Londres, em 1889, pelo seu pai Michael Grabham ( 1866, 16 Nov.; 1938, 13 Abr. ); 1973 - inauguração do busto da rainha D. Filipa de Lencastre ( 1359; 1415 ) em comemoração do sexto centenário da Aliança Luso-Britânica ( 1373; 1973 ); 1974 - oferta à igreja do piano de Gwendoline Rae Short, organista do templo, falecida a 17 Nov. 1974, pelo marido e pelo irmão; 1997, 6 Jul. - falecimento do jardineiro João de Almada, M.B.E., responsável pelo cemitério e igreja, "to the glory of God", desde 1949, segundo lápide evocativa colocada à entrada no jardim.

Dados Técnicos

Estrutura mista e paredes autoportantes.

Materiais

Cantaria mole e rígida regional aparente, alvenaria de cantaria regional rebocada, madeira ( vinhático, carvalho e outras ), pilares e amarrações mistas de tirantes de ferro, talha em madeira aparente, pintura sobre estuque, ourivesaria, vidro, "folha de flandres" pintada e telha de meio canudo.

Bibliografia

CANNE, Ellen e Florence du, The Flowers and Gardens of Madeira, Londres, 1904 e 1909; NEWELL, lieut.-coronel H. A., The English Church in Madeira now The Churck of The Holy and Undivided Trinity, Oxford, University Press, 1931; NASCIMENTO, João Cabral do, Estampas antigas da Madeira: paisagem, costumes, traje, edifícios, marinhas, Club Rotário do Funchal, 1935; SILVA, Padre Fernando Augusto da, Elucidário Madeirense, 3 vols., Funchal, 1945; VIEIRA, Rui e PESSOA, Fernando, Inquérito aos espaços verdes e exemplares botânicos notáveis do Funchal, Nov. 1966 e 1984 ( nº 92 ); VERÍSSIMO, Nelson e TRUEVA, José Manuel de Sainz, Inventário das Esculturas da Região Autónoma da Madeira, Funchal, 1996, p. 28; CARITA, Rui e TRUEVA-SAINZ, José Manuel de, Roteiro Histórico e Cultural da Cidade, Funchal, 1997.

Documentação Gráfica

Gravura de 1844; planta dos irmãos Trigo

Documentação Fotográfica

Museu Vicentes Photographos; DRAC ; Consulado Britânico, Funchal

Documentação Administrativa

Consulado Britânico, Funchal

Intervenção Realizada

Comunidade anglicana: 2000 - restauro e reabilitação do órgão inglês.

Observações

Segundo escreveu o cônsul Veitch, o aspecto exterior do templo, mais parecendo uma biblioteca ou uma câmara, foi devido ao conselho de um dos advogados do Funchal, no sentido de não ferir susceptibilidades à população católica. Também segundo o mesmo o desenho da igreja foi feito pelo próprio cônsul, inspirando-se no templo do Santo Sepulcro de Jerusalém.

Autor e Data

Rui Carita 2000 / Paula Noé 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login