Pelourinho de Ourém

IPA.00001951
Portugal, Santarém, Ourém, Nossa Senhora das Misericórdias
 
Pelourinho quinhentista, de pinha piramidal, com soco quadrangular de dois degraus, de onde evolui fuste octogonal, com elemento heráldico, encimado por cilindro, envolvido por uma coroa aberta e por pequena pinha piramidal. Tem o escudo com as armas de Ourém.
Número IPA Antigo: PT031421110002
 
Registo visualizado 116 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo pinha

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco quadrangular de três degraus com rebordo superior, no qual assenta a coluna com fuste oitavado liso, e sendo a meio da sua altura interrompido por três anéis, tendo no topo, junto ao capitel, um escudo com as armas de Ourém. Remate cilíndrico, coroado de pinha inserida no interior de uma coroa aberta, com decoração vegetalista.

Acessos

Largo do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 39.642729; long.: -8.590894

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, implantado em terreiro ajardinado afrontando um Miradouro. Num dos lados do largo ergue-se o edifício da Junta de Freguesia (v. PT031421110034), e tendo do lado oposto da rua a actual Pousada Conde de Ourém (v. PT031421110019).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1148 - fundação da povoação por D. Afonso Henriques, que a doa a sua filha, D. Teresa; 1180, Março - a senhora da povoação concede foral; 1217, Novembro - confirmação do foral por D. Afonso II; séc. 14 - D. Pedro I doa a povoação a D. João Afonso Telo, primeiro Conde de Ourém; mais tarde, intitula-se Conde de Ourém João Fernandes Andeiro, por concessão de D. Fernando I; séc. 14, final - D. João I doa o título de Conde de Ourém a D. Nuno Álvares Pereira, passando à Casa de Bragança; 1515, 06 Maio - concessão de foral por D. Manuel I; provável construção do pelourinho; a povoação tem voto em Cortes, com assento no banco 14.º; 1620 - data gravada por baixo do escudo existente no fuste do pelourinho, apontada por Gustavo de Matos Sequeira para a sua erecção 1695, 06 Julho - concessão de foral por D. Pedro II; 1712 - é cabeça de Comarca e voto em Cortes, com assento no banco 14.º; 1755, 01Novembro - o terramoto destruiu a vila, refugiando-se a população em Aldeia da Cruz; 1758 - nas Memórias Paroquiais é referido que a povoação pertence aos Condes de Ourém; 1841, 05 Dezembro - Aldeia da Cruz é elevada a vila e denominada Vila Nova de Ourém, por decisão de D. Maria II.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário; gato em ferro.

Bibliografia

CHAVES, Luís, Os Pelourinhos, Lisboa, 1938; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. III, Lisboa, Officina Real Deslandesiana, 1712; ELISEU, José das Neves Gomes, Esboço Histórico do Concelho de Vila Nova de Ourém, 1868; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, 1997; MONTEIRO, Manuel, Os Pelourinhos, Lisboa, 1935; SEQUEIRA, Gustavo de Matos, Inventário Artístico de Portugal, Lisboa, 1949; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74243 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (fol. 395-410)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Rosário Gordalina 1991 / Cecília Matias 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login