Casa na Praça Conde Bracial, n..º 3

IPA.00016779
Portugal, Setúbal, Santiago do Cacém, União das freguesias de Santiago do Cacém, Santa Cruz e São Bartolomeu da Serra
 
Casa unifamiliar tardo-barroca, neoclássica e ecléctica, formado por dois corpos, o primeiro dos quais, virado a S. corresponde a uma empreitada de inícios do séc. 19, onde se cruzam elementos terdo-barrocos, como os frontões curvos ou em arco de querena que coroam os vãos centrais, enquanto os laterais apresentam soluções mais de acordo com o gosto neoclássico, com cornijas apoiadas em pilastras. O volumoso corpo construído sobre a praça e concluído já em 1902, corresponde a um gosto muito austero mas de majestosas proporções, patentes quer na massa exterior do imóvel que na dimensão e pé direito dos compartimento, mas onde os elementos decorativos são bastante sóbrios, correspondendo no entanto a um gosto ecléctico onde se cruzam elementos de inspiração revivalista, patentes na janela amainelada, balaustrada de feição clássica executada em faiança, entre outros.
Número IPA Antigo: PT041509060067
 
Registo visualizado 930 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa    

Descrição

Planta composta, irregular, volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas e terraço. Fachada principal virada a N. de um só pano definido por cunhais apilastrados, com soco escalonado pintado a cinzento, três registos separados por molduras de argamassa e remate superior em balaustrada de faiança branca assente em entablamento, no registo superior rasga-se ao centro a porta principal, com moldura de cantaria, tendo à esquerda dois duas janelas com molduras de cantaria encimadas por duas outras janelas com molduras de cantaria e à esquerda duas janelas com molduras de cantaria; no segundo registo rasgam-se cinco janelas de sacada, com molduras de cantaria e varandas de ferro forjado assentes em base de cantaria, a janela central é encimada por frontão triangular de argamassa assente em duas pequenas pilastras; o terceiro registo é rasgado por uma janela de sacada, central, formada por dois arcos de volta perfeita com moldura de cantaria de chave saliente e assentes em pilastras, com varanda de ferro fundido assente em base de cantaria e encimada por pedra de armas enquadrada com composição de enrolamentos de folhas de acanto em argamassa esgrafitada, ladeada por duas janelas de cada lado com moldura de cantaria; ao centro eleva-se uma trapeira revestira a escamas de barro cozido, de remate em empena e rasgada por janela com moldura de madeira; à esquerda adossa-se um corpo mais baixo, de um só pano definido por cunhais apilastrados, e separado por um dos arcobotantes da Igreja da Misericórdia, é rematado superiormente por platibanda decorada por ovais cegas assente em entablamento e rasgado por um portão de verga ligeiramente curva, com moldura de cantaria encimado por duas janelas sobrepostas com molduras de cantaria. Fachada S. de um só pano definido por cunhais apilastrados, assente em soco de argamassa pintado a cinzento e rematado superiormente por balaustrada de faiança branca assente em entablamento, ao nível térreo rasga-se uma porta central com moldura de cantaria ladeada por janelas engradadas com molduras de cantaria; ao nível do primeiro andar rasga-se uma janela com moldura de cantaria encimada por frontão curvo de argamassa, ladeada por duas janelas de sacada com molduras de cantaria encimadas por cornijas de argamassa e varandas de ferro forjado assente em bases de cantaria; ao nível do segundo andar abrem-se três janelas de sacada com molduras de cantaria e grades de ferro forjado, sendo a central encimada por frontão em arco de querena e as laterais por cornijas de argamassa; à direita adossa-se um pano correspondendo a dependências térreas e quintal, com soco pintado a cinzento e remate superior em platibanda assente em entablamento, rasgado por portão; em segundo plano sobre o terraço que cobre as dependências térreas eleva-se um pano definido por cunhais apilastrados rematado superiormente por balaustrada de faiança assente em entablamento e dividido em dois registos por cornija, no inferior abrem-se quatro portas com molduras de cantaria e no superior três janelas com molduras de cantaria; à direita adossa-se um pano definido por cunhais, rematado superiormente por balaustrada de faiança e rasgado por janela em arco abatido seguindo-se um corpo mais baixo, abrindo sobre o pátio, de um só pano definido por cunhais e rematado por cornija e beirado, com uma porta central no piso térreo, duas janelas ao nível do primeiro andar e o volume saliente de uma construção apoiada em pilares e duas janelas e uma porta, ao nível do segundo andar, com uma escada de dois lanços, resguardada por murete, de ligação ao pátio. INTERIOR: dividido em quatro pisos e sótão. A entrada principal efectua-se pela fachada N. conduzindo a um amplo átrio transversal, de onde parte uma escadaria longitudinal, de dois lanços, com degraus de madeira e paredes decoradas com escaiolas marmoreadas, os restantes compartimentos térreos correspondem a arrecadações e espaços secundários, destacando-se num dos compartimentos das traseiras uma porta interior em arco ogival com moldura de cantaria; o patamar central de escadaria é ladeado por duas portas que conduzem aos compartimentos do primeiro andar; o segundo andar corresponde ao piso nobre, com a escadaria a desembocar ao centro de um átrio, resguardada por balaustrada de madeira de remates volutiformes, na parede S. abrem-se duas portas para o terraço, na parede E. duas portas falsas, a N. duas portas envidraçadas conduzem ao corredor transversal que atravessa todo o edifício, a O. duas portas, a segunda das quais conduz às escadas secundárias que liga ao terceiro andar; a N. distribuem-se três salas, com janelas de sacada abrindo sobre a praça, com tectos estucados e numa delas lareira com moldura de mármore; a S. do corredor situa-se a sala de jantar, com lambril de madeira escura rematado por uma pequena prateleira e tecto estucado, brindo duas portas sobre o terraço, seguida da copa e da cozinha; o terceiro andar repete a planta do segundo, com estuques mais austeros e portas pintadas imitando carvalho.

Acessos

Praça Conde Bracial, n.º 3

Protecção

Incluído na Zona Especial de Protecção do Pelourinho (v. PT041509060004)

Enquadramento

Urbano, flanqueado por casas de habitação, com a fachada principal virada a praça, no centro da qual eleva o Pelourinho (v. PT041509060004), tendo a NO. o edifício dos antigos Paços do Concelho (v. PT041509060016) e a E. o Hospital e Igreja do Espírito Santo (v. PT041509060008) e a Igreja da Misericórdia (v. PT041509060019)

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 19, inícios - construção do corpo sobre a R. Dr. Francisco Beja da Costa; 1902 - conclusão da construção do corpo sobre a Pç. Conde Bracial; 1970, década de - instalação do Lar da Santa Casa da Misericórdia; 1990, década de - saída do Lar da Santa Casa da Misericórdia para novas instalações.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Paredes de alvenaria de pedra e cal rebocadas e caiadas, telhado em telha de marselha, portas e caixilharias de madeira, varandas de ferro forjado, molduras de vãos e elementos secundários de cantaria, balaustrada de faiança, pavimentos de mosaico hidráulico e soalho, lambris de madeira, tectos estucados.

Bibliografia

Documentação Gráfica

DGEMN: DSID; CMSC

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID; CMSC

Documentação Administrativa

DGEMN: DSID; CMSC

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Ricardo Pereira 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login