Igreja de São Salvador

IPA.00001599
Portugal, Coimbra, Coimbra, União das freguesias de Coimbra (Sé Nova, Santa Cruz, Almedina e São Bartolomeu)
 
Igreja românica, manuelina, maneirista e barroca, de três naves de raiz românica de que mantém parte da fábrica inicial patente no portal de 3 arquivoltas de arco pleno, com semelhanças formais e decorativas com o da Sé Velha (v. 0603020007), inscrito num alfiz pétreo rematado por cornija sobre cachorros vegetalistas, antropomórficos e zoomórficos, inseridos na corrente introduzida pelos mestres franceses em Coimbra e seguida pelos construtores locais, podendo aqui ser observado o românico regional no seu desenvolvimento estrutural e decorativo (CORREIA, 1947), nomeadamente nos suportes constituidos por colunas simples e pilares com meias-colunas com capitéis vegetalistas de folhas e colchetes, e zoomórficos. A solução da cobertura em tecto de masseira é próxima da usada na Igreja da colegiada de Santiago ( v.0603190008 ). Capela manuelina com cobertura abobadada de cruzaria de ogivas de 2 tramos sobre mísulas vegetalistas e com bocete heráldico. Absidíolo N. maneirista com cobertura de abóbada de berço em caixotões e retábulo pétreo de S. Marcos de tipo arquitectónico. Nas restantes capelas retábulos de talha dourada de estilo nacional e rococó. A armação de madeira que suporta o coro alto contém parte da estrutura primitiva de notável técnica construtiva apresentando áreas policromadas genuínas, de gramática decorativa que conjuga elementos vegetalistas e grutescos, passíveis de serem datados do período manuelino, sem precedentes tipológicos no territótio nacional.
Número IPA Antigo: PT020603250007
 
Registo visualizado 1387 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

Planta retangular irregular, composta pelo corpo da igreja, cabeceira tripla de topos rectilíneos, capela de São Brás quadrangular, capela dos Barros, Sacristias e anexos rectangulares. Não coincidência exterior/interior. Massa horizontalista de volumes articulados, com cobertura diferenciada de telhados de 2 águas sobre a nave central e ábside, de 1 água sobre as naves laterais, absidíolos e 1ª Sacristia, e de 3 nas capelas laterais e 2ª Sacristia. Frontispício orientado de 2 registos bem marcados, o 1º é saliente, com pano central de cantaria e laterais rebocados delimitados por cunhais, e rematado por cornija sobre cachorrada de temática vegetalista, zoomórfica, antropomórfica (no pano central) e geométrica (nos panos laterais); ao centro rasga-se portal profundo em arco rebaixado enquadrado por grande arco pleno de 3 arquivoltas reentrantes molduradas: a exterior, apoiada nas impostas, é decorada com 2 ordens de folhas de acanto estilizadas contrapostas; as seguintes são desprovidas de decoração, sobre 2 colunas de cada lado, com fustes truncados, a interior do lado esquerdo é facetada e preenchida com vieiras e rosetas circulares, e todas têm com capitéis vegetalistas com palmetas e colchetes; panos laterais vazados por pequenos óculos tetralobados; volvido a S. pano estreito com pequena janela rectangular; 2º registo: corpo recuado tendo no pano central, em ressalto, janelão em arco rebaixado sobreposto por nicho vazio sob pequena cornija recortada; remate em empena angular de volutas com cruz terminal; panos laterais delimitados por cunhais e vazados por janelas em arco rebaixado; rematados por pequenas aletas simples. À direita pano da 1ª Sacristia, baixo, com porta de moldura rectangular encimada por janela gradeada, de moldura idêntica. Fachada S.: no 1º registo pano da 1ª Sacristia com porta de arco rebaixado, à esquerda, e um vão transversal; remate em beiral; pano da capela dos Barros, mais alto, com janela de moldura rectangular a O., delimitado por cunhais e com contraforte de secção poligonal a meio da caixa murária, onde são visíveis uma fresta e um vão entaipados; remate em cornija; pano da 2ª Sacristia com 2 janelas em arco rebaixado; remate em beiral; no 2º registo pano da nave lateral, cego, com remate em cornijas; segue-se pano de edifícios particulares de 3 pisos. Fachada posterior: flanqueada e adossada a edifícos particulares sendo visível o pano da ábside com pequena janela de moldura rectangular e parte dos cunhais; remate em empena angular. Fachada N.: adossada a edifício particular de 2 pisos, sendo apenas parcialmente visível a parte superior da caixa murária do corpo da igreja e ábside com remate em cornija, sobre os telhados daquele, e parte dos panos da cabeceira, com janelas rectangulares, no interior do próprio edifício. INTERIOR: 3 naves com 4 tramos definidos por arcos plenos com apoios diferenciados sobre um pavimento desnivelado, ascendente para E. e provido de 2 degraus em plataforma; as paredes são revestidas por grandes painéis de azulejos figurativos azuis e brancos, em 2 registos, com cenas bíblicas, identificadas com legendas, e emblemas eucarísticos, envoltos por cercaduras com volutas anjos e atlantes, superiormente recortadas; o 1º tramo é ocupado pelo coro-alto com varanda de balaústres de madeira, iluminado por 3 janelas em arco pleno com cercaduras de azulejos azuis e brancos, e suportado por uma estrutura de barrotes terminados em pequenos cachorros onde se apoiam tábuas transversais; esta armação patenteia na zona central (original) restos de policromia em motivos geométricos, vegetalistas (folhas dispostas em escamas), grutescos e figuras antropomórficas; na parede O. do sub-coro a porta principal, inscrita num vão sobrepujado pequeno arco diafragma de extradorso rectilíneo, e 2 laterais, altas, em arco rebaixado com ressalto, que abrem para pequenos espaços de arrumo providos de janelas; o coro-alto interrompe em altura as meias-colunas encaixadas na parede O. e o 1º par de colunas que suportam os arcos, lisas, com capitéis de ábaco muito saliente, decorados com motivos vegetalistas estilizados, semelhantes ao 2º par, sendo o 3º apoio, sobre degrau, constituído por pilares de secção rectangular com 2 meias-colunas laterais, com capitéis de folhas e colchetes, e o último por meias-colunas sobre plinto alto, prismático, tendo o capitel da esquerda motivos vegetalistas e zoomórficos. Na parede N. abrem-se sucessivamente 1 porta de moldura rectangular para um desvão, contendo escada e instalações sanitárias, um nicho em arco pleno de extradorso recortado e, sobre plataforma, arco pleno apoiado em pilastras estriadas da capela de São Brás *1, com silhar de azulejos e em cujas paredes laterais se abrem 2 portas de moldura rectangular antecedidas de degraus, a da direita entaipada e a da esquerda de acesso a escada para o coro-alto, e 2 janelas em arco rebaixado igualmente entaipadas; no pavimento 2 sepulturas com inscrições diante do altar com retábulo de estrutura cenográfica de talha dourada, polícroma e marmoreada com 2 pares de colunas em avanço, enquadrando grupo escultórico de São Brás acompanhado de uma criança; cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas com bocete floral, apoiada em mísulas; segue-se 1 porta de moldura rectangular sem serventia *2. Do lado da Epístola abrem-se à direita a 1ª Sacristia, com janela de conversadeiras a O. e fresta entaipada a E., contendo arcaz; cobertura em abóbada de berço tendo pintada ao centro cartela com vestígio de imagem (São Salvador ?); segue-se nicho em arco pleno com restos de policromia (volutas vegetalistas), gradeado, contendo imagem do Senhor dos Passos; a meio da parede grande arco pleno com restos de pintura de volutas no intradorso, provido de teia de madeira, da capela dos Barros a que se acede por meio de 2 degraus, dado o nível mais baixo em que se encontra; paredes revestidas de azulejos de padrão floral; a O. janela alta rectangular com capialço pintado com volutas vegetalistas; na parede S. arcosólio em arco pleno de 2 arquivoltas com decoração vegetalista de troncos e caule folhado e frutado, delimitadas por 3 colunelos, o 1º facetado, com capitéis de gramártica zoomórfica, vegetalista e nastros, onde se encaixa túmulo com tampa trapezoidal epigrafada de Afonso de Barros e de sua mulher Guiomar de Sá, cujas pedras de armas, seguras por 3 anjos-tenentes ajoelhados, figuram na face da arca com moldura vegetalista de caule sustendo folhas e pinhas; na mesma parede, superiormente, 3 painéis com cenas da vida da Virgem, emoldurados de talha dourada com acantos, acompanhando a curvatura da abóbada de cruzaria de ogivas de 2 tramos que cobre a capela, sobre mísulas vegetalistas *3, totalmente pintada com volutas vegetalistas e coroas de folhagem, e com 2 bocetes esculpidos, um circular (flor?) circundado por 2 filacteras e o outro com pedra de armas de Afonso de Barros, ficando 2º tramo semi-oculto pelo retábulo que ocupa toda a parede E., de talha dourada com colunas pseudo-salomónicas e decoração de folhas de acanto, pâmpanos e anjinhos a enquadrar imagem de Nossa Senhora da Assunção; defronte do retábulo um frontal de altar isolado revestido de azulejos hispano-árabes de aresta *4; segue-se porta de moldura rectangular da 2ª Sacristia com lavabo de taça concheada e espaldar esculpido com 2 cabeças sob frontão em cartela; a S. 2 janelas em arco rebaixado e a E. fresta rectangular entaipada; aberto na parede N. um vão profundo em arco quebrado; cobertura em tecto de madeira; a E. antecedido de degrau, arco triunfal pleno sobre meias colunas com capitéis zoomórficos, encimado por volutas e sanefas de talha polícroma e dourada e 3 mísulas com imagens de Nossa Senhora e Santa Ana a ladear Cristo Crucificado; cobertura das naves em tectos de masseira com caixotões. Capela-mor muito profunda e com 3 degraus, lateralmente com 2 janelas em arco rebaixado sem serventia *5 e revestida de painéis de azulejos figurativos representando a Natividade e a Adoração dos Magos, a S., e a Circuncisão e Apresentação de Jesus no Templo, a N.; o retábulo é entalhado em madeira dourada e polícroma com marmoreados, com 4 colunas compósitas a flanquear trono com escultura da Pietá, rematado por frontão com resplendor entre 2 anjos; cobertura em abóbada de berço sobre friso de madeira; absidíolo S. aberto por arco pleno sobre meias colunas com capitéis vegetalistas, revestido por painéis de azulejos figurando Jesus no Horto e a Prisão de Cristo; o retábulo de talha dourada e polícroma contém um relevo representando a Apresentação da Virgem, sendo encimado por resplendor; cobertura em abóbada de berço apoiada lateralmente em friso de madeira; pavimento de tijoleira; absidíolo N. com arco pleno, decorado por querubins e rematado com o brasão do fundador António Velez Castelo Branco, sobre pilastras com grutescos em baixo-relevo; na parede S. um vão com vestígio de arco pleno emtaipado no tardoz *6, junto ao mesmo pequena lápide epigrafada que se refere à fundação da igreja; na parede N. janela alta sem serventia; ao fundo retábulo pétreo de 2 registos com 3 nichos em cada, separados por pilastras; na predela inscrição com elogio do fundador; no 1º registo, ao centro, escultura de São Marcos acompanhado do leão, ladeado pelas imagens do doador e sua mulher em posição orante; no registo superior São Pedro segurando as chaves e São Miguel a lutar contra o diabo, flanqueiam edícula com colunas-balaústres avançadas onde figura a Assunção da Virgem circundada por querubins; remata o conjunto um frontão triangular entre volutas, tendo no tímpano a imagem do "Padre Eterno"; a mesa do altar apoia-se em duas colunas-balaústres; no pavimento de pedra, onde se inscreve estreita faixa de azulejos hispano-árabes de aresta (reaproveitamento), existem 3 sepulturas, a da esquerda com inscrição, e no degrau diante do altar outra, transversal, tendo epigrafada a consagração fúnebre de Gaspar Dias Velez feita pelo seu filho, António Velez; cobertura em abóbada de berço de caixotões

Acessos

Largo de São Salvador, Couraça dos Apóstolos, Rua do Loureiro, Rua de S. Salvador, Rua do Cabido

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136 de 23 junho 1910

Enquadramento

Urbano. Na Alta de Coimbra, em meia encosta voltada a O.. Adossada a N., E. e S. a edifícios particulares de 2 e 3 pisos. Defronte da fachada principal escadaria de 2 lanços em ângulo recto, a vencer o desnível do terreno. Nas proximidades a cerca de Almedina (v. 0603020012) e a Sé Nova (v. 0603250001); adjacente pelo lado S. ao velho conjunto forense de Aeminium e paralela à primitiva igreja de São João de Almedina - Museu Machado Castro (v. 0603250013), que tem a N. o Portal do Colégio de São Tomás (v. 0603250018). A N. localiza-se a torre campanário, desligada da igreja e completamente embebida num edifício onde funciona uma tipografia; de planta quadrangular, vazada no topo, em redor, por 4 sineiras em arco pleno e coberta por telhado piramidal de 4 águas; o acesso faz-se por dentro da tipografia, que utiliza o espaço da mesma.

Descrição Complementar

O túmulo de Afonso de Barros e de Guiomar de Sá inscreve-se num arcosólio de duas arquivoltas, a exterior decorada com tronco podado arrancado e a interior com caule ondulante sustendo folhas e bagas, sendo os capitéis zoomórficos, vegetalistas e com nastros; a envolver as pedras de armas uma orla composta por caule estriado ondulante com folhas recortadas e pequenas pinhas. INSCRIÇÕES: Fachada principal - STEPHANVS MARTINI ET SVA SPONTE FECIT HAEC PORTAL EM LETA FRONTE ERA MCCXVII. Capela de São Marcos: predela do retábulo - ANTONII . VELESII . E ET . PITAPHIVM . SIC . STHRPS . ANTONII . SPLENDET . SIC . VITA . REFVLSIT . CLARA . MAGIS . DVBITES . HEC . SIT . AN . ILA . MAGIS . HOC . TAMEN . AFIRMA . SANCTE . SI . VIVERE . PRODEST . POSIDET . ANGELICOS . M~ES . ANIMVS . VE . CHOROS. ; degrau do altar - P C GASPARI DIESIO VILESIO / CHRISTIANO VERACI PIO PA / TRI INDVLGENTI SSIMO ANT/ ONIVS VILESIVS F PATRI BENE / MERENT . P . DE VITA IIII KL / APRI . M . X X X X . AETAT / IIS VEROL X X X; campa de Gaspar Dias Velez e de sua mulher Ana Mendes - . P . M. / GASPAR . DIESIVS . VILESIVS VIR / CLARVS . ETCVPRIMIS . HONE / SIVS . OVI . OVONDAM / A REGIBVS . PORTVGALIE / IOANE . SECVNDO . EF EMANVELE / PRIMO . AD CHRSTIANISIMV / REGEM . GALORVM . AD . HIS / PANIARVII EM RE / GEM FERNA / DVUN E AD . AMOLISIMVN VE / NETIARV . SENATV . MAGNIS / DE REBVS . LAGATVS . MISVS / ESTVISIT . OVEMRELIGIONIS / ERGO. SACRO . SANCTVM . CHR / IST .... MAX SI .....ERVM / DIVOR. VM . AIOSA .........M . PF / TRI . EI PAVII ROME ...... CVLO / H . S . E SIMVL CV ..... / SVA HONESTIISIMA . E .... / TISIMA . MATRON ..... / MENDESIA . FREIR ... OVORV / ANIME . IN PACE ...VIESCVNT / VIXIT . ANNIS . 8 .O . ILA . 7. 5 e ANTON ...VELESIVS . CASTEL / BRACO . i ... RENTIBVS . PIEN / TISIMVS . GASPARI . DIESIO . EF / ANA MENDESIA . B . M . P . /. Capela dos Barros: 1. Inscrição funerária de Afonso de Barros gravada na tampa do túmulo. Calcário.Tipo de letra: gótica minúscula de forma com algumas capitais quadradas. Leitura modernizada: Esta capela e esta sepultura mandou fazer guiomar de sá para deitar o muito honrado afonso de barros cavaleiro da casa del rei seu marido o qual aqui jaz e ela manda a seu testamenteiro quando ela falecer que a lançem com ele o qual faleceo aos xviii dias de fevereiro de mil bc xb anos. 2. Inscrição funerária de Guiomar de Sá gravada na tampa do túmulo. Calcário. Tipo de letra: capital quadrada. Leitura modernizada: A QUAL GUIOMAR DE SÁ JAS AQUI FALECEU A IX DE OUTUBRO DE I5 XXXII. Existência de órgão.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 12 / 16 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

João de Ruão (retábulo da capela de São Marcos); Manuel Ramos (telas da capela dos Barros).

Cronologia

1064 - O Inventário de bens do mosteiro da Vacariça já refere a igreja, localizada intramuros da cidade de Coimbra, provando que a sua construção é anterior a essa data; a igreja pertencia ao mosteiro da Vacariça, onde viviam monges; 1179 - Estevão Martins, homem rico coimbrão, manda remodelar a igreja segundo inscrição no portal, demorando as obras pouco mais de um ano; é colegiada e priorado; 1515 - Instituição e construção da capela dos Barros por D. Guiomar de Sá (tia do poeta Sá de Miranda), para sua sepultura e de seu marido; 1540 - Instituição da capela dedicada a São Marcos (absidíolo N.) com colocação de um retábulo pétreo; no altar lateral esquerdo são colocados restos mortais do cavaleiro D. Vermudo Vermudes; séc.17 - Reforma da fachada da colegiada que dá para a rua da Matemática; a capela dos Barros é revestida a azulejos e talha dourada a emoldurar pinturas; construção da Sacristia; séc.18 - remodelação que modifica profundamente a igreja; destruição da ábside românica e abertura de um grande arco de acesso à capela dos Barros; 1743 - A igreja é revestida com painéis de azulejos azuis e brancos de temática bíblica e do Salvador do Mundo; 1854, Agosto - Extinta a paróquia; 1914, 14 Julho - Pelo decreto nº 643 a igreja é cedida à Irmandade dos Clérigos Pobres trazendo para São Salvador algum mobiliário, paramentos e objectos de culto; séc.20, década de 40 - a Sé Nova passa a concentrar os fiéis da Catedral e Igreja de São Salvador; extinta a igreja passa a funcionar como arrumação da Sé e casa mortuária; 1950 - Devido a infiltração de água por prédio encostado à àbside retiraram-se todos os azulejos do altar-mor; 1960 - É realizado um estudo para restauro e reintegração da Igreja de São Salvador; proposta da DGEMN para expropriação e demolição de alguns prédios que se encontram adossados à igreja; séc. 20 - alteração da fachada; 1995 - Elaboração de um relatório sobre o estado de conservação do revestimento azulejar; 1998 - Estudo sobre as policromias do coro alto pelo Departamento de Conservación y Restauración da Universidad Politécnica de Valencia; 1999 - Relatório do exame e tratamento das pinturas murais da Igreja de São Salvador: Capela dos Barros.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes, estrutura mista.

Materiais

Alvenaria de pedra, calcário (colunas, pórtico principal), pedra Ançã (retábulo de São Marcos), madeira (tectos da nave, sacristia, coro, caixilhos, portas), lajedo (pavimento), talha (retábulos), cantaria (túmulo).

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, O Românico, in História da Arte em Portugal, vol.3, Lisboa, 1993; BORGES, Nelson Correia, João de Ruão Escultor da Renascença Coimbrã, Coimbra, 1980; Idem, Coimbra e Região, Lisboa, 1987; CORREIA, Vergílio, GONÇALVES, Nogueira, Inventário Artístico de Portugal, Cidade de Coimbra, Lisboa 1947; DIAS, Pedro, Coimbra Arte e História, Porto, 1983; GONÇALVES, António Nogueira, Novas Hipóteses acerca da Arquitectura Românica de Coimbra, Coimbra, 1938; MAMEDE, Eduardo Proença. Igreja do Salvador (Subsídios para o seu Estudo), Separata da Revista Munda nº 20 e 21. Coimbra, s.d.; PEREIRA, Paulo, História da Arte Portuguesa, vol.I, Lisboa, 1995; VASCONCELOS, António, Dois Enigmas Epigráficos, separata da revista Biblos, vol.XII, Coimbra, 1937; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/70316 [consultado em 12 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMC

Intervenção Realizada

DGEMN: 1934 - Reparação da cobertura, consolidação do paramento da fachada principal e do pórtico; 1945 - Levantamento e armazenamento dos azulejos da nave; 1976 / 1977 - Reconstrução das coberturas do corpo da igreja, pavimento e tecto da nave; sondagens em pavimentos; picagem de paredes exteriores, reboco, caiação; limpeza de silhares, refechamento de juntas; 1978 / 1979 - Reparação e conservação de coberturas da capela-mor, da colateral e capela a N.; reconstrução dos tectos das naves, reparação de rebocos em paredes interiores; 1981 / 1982 - Conservação e arranjo geral exterior para vedação e segurança do monumento; reconstrução da cobertura do anexo abobadado em pré-esforçado e seu rebaixamento para libertar janela da capela lateral esquerda; remates de beirados e colocação de caleiras; caiação de paramentos exteriores; reconstrução de portas e janelas, colocação de redes protectoras; arranjo da escada exterior; prospecções arqueológicas e beneficiações nos pavimentos; recolocação de azulejos; 1987 - Conservação e restauro da capela dos Barros com reconstrução do pavimento, consolidação do altar, reparação da teia de madeira exótica; construção de apoio sanitário; 1993 - Reparação de cobertura na zona da Sacristia, reboco parcial na fachada principal; 1995 / 1997 - Restauro e consolidação do revestimento azulejar da igreja; obras de beneficiação exteriores; 1997 / 1998 - Beneficiação em coberturas; conservação e consolidação estrutural do coro tendo sido descobertas as pinturas que revestiam parte da sua armação; execução de instalações sanitárias; beneficiação da Sacristia; execução de rebocos interiores; pinturas dos elementos de madeira em tectos; conservação e restauro da Capela dos Barros: talha do altar, pinturas do tecto, telas e respectivas molduras, consolidação dos arcos torais e fechos em cantaria dos dois tramos da abóbada; execução de portas e caixilhos; conclusão da conservação e restauro do revestimento azulejar; revisão da instalação eléctrica; 1999 - Tratamento, conservação e restauro da talha dourada da capela lateral do lado da Epístola; conservação da estrutura primitiva do coro; limpeza, conservação e restauro do pórtico e cimalha da fachada principal e do retábulo de S. Marcos; 2000 - Execução de bancos para a igreja, segundo modelo existente; conservação e restauro de caixilho em vidro do retábulo da capela dos Barros; limpeza e conservação de cantaria da mesma capela e do lavabo da Sacristia; 2001 - Fixação de azulejos hispano-mouriscos do frontal de altar na capela dos Barros; reconstrução e alteração da escadaria de acesso ao portal principal; 2002 - Remoção de bolores e fungos com trincha e aspirador das telas da capela dos Barros.

Observações

*1 - A dedicação primitiva desta capela era de Nossa Senhora do Rosário, segundo letreiro pintado no retábulo; *2 - Entaipada pelo exterior, actualmente uma divisão da tipografia; *3 - O acesso à capela por meio do grande arco aberto no séc. 18 cortou parte do arranque das nervuras e fez desaparecer a respectiva mísula; *4 - Trata-se de um murete de cimento que substituiu o altar de talha; *5 - A da esq. dá para a tipografia e a da dir. para casa particular; *6 - As 3 capelas da cabeceira eram comunicantes.

Autor e Data

Cecília Matias e Lina Oliveira 2003

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login