Casa do Eirado

IPA.00015529
Portugal, Viana do Castelo, Valença, União das freguesias de Valença, Cristelo Covo e Arão
 
Casa de construção Quatrocentista, no denominado estilo manuelino, implantada de gaveto e com planta retangular e lote largo, tendo inscrição alusiva ao seu construtor e data de construção na fachada principal. Apresenta as fachadas de um ou dois pisos, em cantaria aparente, rasgadas por vãos retilíneos com molduras chanfradas ou decoradas por vários elementos vegetalistas e toro, por vezes formando arco canopial, com decoração manuelina ainda de carácter incipiente. Recebeu algumas reformas posteriores conforme denotam os vãos de moldura simples. O pano estreito da fachada principal deverá datar do séc. 17 / 18, sendo o remate daquela fachada, em platibanda de merlões decorativos e urnas nos cunhais, certamente posterior. As águas-furtadas sobre a cobertura provavelmente datarão do séc. 19 / 20. O esquema de fenestração da fachada lateral esquerda é diferente, uma vez que possuía no primeiro piso apenas portas, a central mais decorada, e no segundo, janelas de peitoril.
Número IPA Antigo: PT011608150108
 
Registo visualizado 681 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa    

Descrição

Planta retangular irregular, de massa horizontalista, com cobertura em telhado de quatro águas integrando em plano descentrado água-furtada em L, com telhado de telha preta. As fachadas são em cantaria aparente, na fachada principal e lateral esquerda de aparelho regular, e na lateral direita irregular, com as juntas tomadas de cimento, de um ou dois pisos, rasgados por vãos retilíneos com caixilharia de guilhotina. Fachada principal virada a nascente, de dois panos de cronologia díspar, o da esquerda maior e mais antigo, terminada em cornija reta, encimada por platibanda plena de cantaria, com merlões decorativos de remate recortado, e tendo nos cunhais urnas adelgaçadas, assentes em plintos paralelepipédicos. O pano esquerdo, de um piso, é rasgado, ao centro, por portal longilíneo, de verga reta, com moldura possuindo chanfro e superiormente decorado por pequenas volutas formando motivo trilobado, contendo porta de duas folhas ornadas com almofadas recortadas intercaladas por florões e possuindo bandeira envidraçada protegido por grade com motivos radiais; é ladeado por duas janelas de peitoril, a do lado esquerdo simples e a do lado direito de verga reta envolvida por moldura curva, assente em falsas mísulas e formando arco canopial com capitel fitomórfico; sob o peitoril da última janela e preso a este por laçaria, surge filactera com a inscrição "JOSEE ALVAREZ ME FEZ 1448", encimado por rosto antropomórfico, de perfil e com barba. O pano da direita apresenta dois pisos rasgados por vãos sobrepostos: um portal de verga reta sobre pés-direitos e janela de peitoril de moldura simples. A água furtada sobre o corpo mais largo, apresenta-se revestida a chapa ondulada, pintada de branco, com cunhais, moldura das duas janelas de peitoril e friso superior pintado de preto, este encimado por beiral. Fachada lateral direita de dois pisos, terminada em cornija e beirada, rasgada no primeiro piso por três portas de verga reta, as laterais com chanfro e a central integrando nas molduras colunelo, com bases e capitéis decorados, de diferentes motivos, prolongados superiormente num toro encimado por dois X relevados e tendo inferiormente um outro elemento já incompleto, estando atualmente parcialmente fechada por laje de cantaria e transformada em janela de peitoril. No segundo piso rasgam-se quatro janelas de peitoril, a do extremo direito de moldura simples, a seguinte com moldura chanfrada, tal como a seguinte, mas a qual tem a verga esculpida ao centro com flor-de-liz e a do extremo esquerdo com moldura em toro. Fachada lateral direita de dois pisos e dois panos, o da esquerda mais avançado, rasgado no primeiro por janela retangular jacente, gradeada, e no segundo por duas janelas de peitoril de moldura simples, e o mais recuado, rebocado e pintado de branco, com porta de verga reta no primeiro e o segundo precedido por escada de pedra e guarda de ferro, rasgado por portal de verga reta e janela de peitoril, com portadas de madeira.

Acessos

Valença, Largo de São Teotónio, Travessa do Eirado, Rua Dr. Pedro Augusto Dias. WGS84 (graus décimais) lat.: 42,030942; long.: -8,644627

Protecção

Incluído na Zona Especial de Proteção das Fortificações da Praça de Valença do Minho (v. IPA.00003527)

Enquadramento

Urbano, no interior da Praça de Valença, disposto de gaveto, adaptado ao declive do terreno, com a fachada posterior adossada a outra construção de igual cércea, junto a via pública e desenvolvendo-se frontalmente largo, pavimentado a paralelos com guias de granito, formando quadrícula. À frente da fachada lateral direita desenvolve-se logradouro, fechado por muro de alvenaria de pedra e grade de ferro, com vários canteiros, uma mesa e bancos corridos de pedra, um espigueiro, com corpo em cantaria, paredes e porta de madeira e cobertura de telha, e várias árvores de fruto. No mesmo largo, erguem-se o edifício dos Correios (v. IPA.00021107) e o do Tribunal (v. IPA.00015948).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Residencial: casa

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 15 / 17 / 18 / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1448 - construção da casa por José Álvares, conforme inscrição datada na fachada principal; séc. 16, inícios - é propriedade da família Abreu, sendo na época alcaide-mor de Lapela Álvaro Abreu; séc. 17 - 18 - provável reforma da casa, com abertura de alguns vãos de modinatura simples; séc. 18 - pertence a Abel Augusto Garção, que a recebe de Gabriel Pereira de Castro São Miguel e Vasconcelos, Senhor das Casas do Eirado de Valença, do Paço em São Miguel de Fontoura, sargento-mor e juiz dos órfãos de Valença, que em 1777 casou com D. Antónia Joaquina de Castro de Sousa Meneses, da Casa de Galvão de Melgaço; séc. 19 - 20 - provável construção da água-furtada; 1906, julho - substituição da designação do largo do Eirado por largo Marquês de Pombal; 1965 - 1972 - aqui funciona um posto de Tele-Escola; 1977 - passa a pertencer a Firmino José Pinto Rodrigues, que a manda restaurar.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura de cantaria aparente ou em alvenaria de pedra aparente ou, no pano da fachada lateral direita, rebocada e pintada; elementos estruturais em cantaria de granito; caixilharia e portas de madeira; vidros simples; grades de ferro; águas-furtadas revestidas a chapa; algerozes metálicos; cobertura de telha.

Bibliografia

BOTANES, Suso Vila - Pazos e Casas de Tui. A Arquitectura Civil en Tui e Valença. Tui: 2000; ROCHA, J. Marques - Valença. Porto: 1991.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

Matriz Predial Urbana de Valença, n.º 71

Intervenção Realizada

Proprietário: 1977, cerca - obras de restauro.

Observações

Autor e Data

Paula Noé 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login