Pelourinho de Açores

IPA.00001436
Portugal, Guarda, Celorico da Beira, União das freguesias de Açores e Velosa
 
Pelourinho quinhentista, de bloco prismático, assente em soco de quatro degraus quadrangulares, com fuste de secção quadrangular, de arestas truncadas, formando octógono e remate em bloco cúbico, ostentando elementos heráldicos nas faces. Remate em pináculo piramidal, com capitel, ornado nos ângulos por pequena folhagem. As faces do bloco ostentam um escudo português e um açor, numa alusão à origem do toponómio e armas do antigo concelho.
Número IPA Antigo: PT020903010003
 
Registo visualizado 467 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composto por soco constituído por quatro degraus quadrangulares, os três primeiros de arestas boleadas e o último em aresra viva, encontrando-se o primeiro enterrado no pavimento do largo. Sutenta coluna de fuste octogonal, sendo a zona inferior e o terço superior quadrangular, chanfrada nos ângulos. Capitel simulado pela colocação de motivos decorativos que descrevem vagamente um enrolamento em quatro das faces do fuste, resultando num efeito semelhante ao da base. Remate em cubo apresentando as quatro faces molduradas, observando-se, na face S., as cinco quinas e, na face E., um açor, tendo ainda nos ângulos motivo vertical estriado e encimado por esfera. O coroamento do remate é em pirâmide de base quadrangular com o vértice um pouco fragmentado.

Acessos

Largo do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,645393, long.: -7,305175

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto, nº 23 122, DG, I Série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, destacado, situa-se no largo principal da aldeia, plano, fronteiro à antiga Casa da Câmara, delimitado por construções rústicas, algumas descaracterizadas, situando-se a igreja num plano superior. Espaço comunicante com terreiro marcado pela confluência de duas estradas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1512, 01 Julho - Concessão de carta de foral a Celorico da Beira por D. Manuel, na qual se dispõe que a terça dos rendimentos de montados e maninhas fosse utilizada com os escudeiros e cavaleiros que acorressem anualmente à romaria de Nossa Senhora dos Açores; nunca possuíu foral próprio (LEAL, 1873), ainda que um autor se refira ao foral novo de Celorico como tendo sido outorgado a Açores (ALMEIDA, 1980); a povoação teria alcançado alguma importância no período medieval, enquanto centro de peregrinação religiosa (RODRIGUES, 1979); séc. 15, início - os Bispos da Guarda emprazaram estas terras aos Senhores de Tábua (OLIVEIRA, 1939); 1527 - Açores surge como concelho no Cadastro da População do Reino, com 45 habitantes; pertencia à coroa (LEAL, 1873), sendo ainda referenciado pela população o sítio da forca, cerca de 200 m. a N. do pelourinho; 1758, nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco, Francisco Antunes Dias, é referido que a povoação pertencia ao rei, comarca do bispado da Guarda, dependente do juiz de Celorico da Beira; 1836 - extinção do concelho; séc. 20, meados década 80 - o primeiro degrau do pelourinho ficou soterrado após os trabalhos de pavimentação do largo; preenchimento das juntas dos degraus com cimento.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936; CHAVES, Luís, Pelourinhos Portugueses, Vila Nova de Gaia, 1930; DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Lisboa, 1924; LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1873; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; OLIVEIRA, Manuel Ramos de, Celorico da Beira e o seu Concelho, Celorico da Beira, 1939; RODRIGUES, Adriano Vasco, Celorico da Beira e Linhares, Celorico da Beira, 1979; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito da Guarda, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 1, n.º 26, fl. 223-226)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Margarida Conceição 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login