Igreja Paroquial de Limões / Igreja de São João Baptista

IPA.00013873
Portugal, Vila Real, Ribeira de Pena, União das freguesias de Cerva e Limões
 
Arquitectura religiosa, barroca. Igreja paroquial de planta longitudinal composta de uma nave e capela-mor, mais baixa e estreita, interiormente cobertos por falsa abóbada de berço de estuque e iluminado pelos vãos laterais, com sacristia e torre sineira adossados. Fachadas com pilastras toscanas nos cunhais, a principal terminada em empena, de friso e cornija, rasgada por portal de verga recta encimado por nicho e óculo recortado; as laterais são rasgadas por porta travessa, de verga recta, e duas janelas de capialço, na nave e capela-mor. No interior, coro-alto de madeira, baptistério no lado do Evangelho, confessionários embutidos confrontantes, púlpito no lado do Evangelho, dois retábulos laterais tardo-barrocos, um outro revivalista, todos de de talha policroma e dourada, e retábulo-mor de talha barroco, de talha policroma e dourada, de planta convexa e um eixo.
Número IPA Antigo: PT011709040039
 
Registo visualizado 312 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única e capela-mor, mais baixa e estreita, rectangulares, com torre sineira, quadrangular, e sacristia, rectangular, adossadas respectivamente a S. e a N.. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas, na igreja, três, na sacristia e em coruchéu hexagonal, na torre sineira. Fachadas em cantaria de granito, de aparelho em fiadas regulares, com as juntas betumadas, terminadas em friso e cornija, com pilastras nos cunhais e cruz sobre acrotério nas empenas. Fachada principal voltada a O., enquadrada por pilastras toscanas, com cornija dupla, rasgada por portal de verga recta, moldurado, encimado por nicho em arco de volta perfeita, concheado, albergando a imagem do padroeiro, em pedra, e óculo recortado, com moldura decorada de volutas. A fachada é flanqueada por torre sineira, com dois registos, sensivelmente escalonados, separados por friso e cornija recta, sobrepujada por beiral; possui acesso exterior por porta de verga recta, sobrelevada, no primeiro registo do lado E., e quatro sineiras em arco de volta perfeita, com um sino, no segundo, tendo a voltada a O. a data de 1867 inscrita; remate em friso e cornija recta, com pináculos piramidais, nos vértices, e cobertura em coruchéu hexagonal, sobre lanternim, com relógio voltado a O., rematado por pináculo e catavento com cruz de ferro. Fachadas laterais rasgadas na nave por porta travessa, de verga recta, e duas janelas de capialço e na capela-mor por duas janelas, semelhantes. A fachada N., integra fonte de espaldar rectangular, com bica carranca, encimado por vão de verga recta, cego, revestido com azulejo historiado, representando o baptismo de Jesus no rio Jordão, acedido por sacada, com base de pedra sobre duas mísulas, e escada de pedra adossada com guarda em grade de ferro; sacristia terminada em cornija, rasgada por porta de verga recta na fachada O. e janela de capialço na E.. A fachada S., com cruz de via-sacra em baixo-relevo no cunhal, é marcada por escada de pedra para a torre sineira e para o coro-alto, adossada, ambos com portas de verga recta, a última inscrita com a data de 1766 e ladeada por janela jacente, com guarda de ferro, bem como por moldura em arco de volta perfeita sobre pilastras toscanas, embebida entre as janelas da nave. Fachada posterior terminada em empena de friso e cornija, com pináculos piramidais, rasgada por óculo circular, com cruz de via-sacra inscrita. INTERIOR rebocado e pintado de branco; nave com coro-alto sobre trave de madeira, sustentado por seis mísulas de pedra, com balaustrada de madeira, envernizada; no sub-coro surgem pia de água benta, gomeada, no lado da Epístola, e pequeno vão, rectangular, de um antigo armário de alfaias, no lado do Evangelho, ladeando o portal; lateralmente, abrem-se dois vãos em arco de volta perfeita, confrontantes, sendo o do lado do Evangelho o baptistério com painel de azulejos historiados, representando o baptismo de Cristo no rio Jordão, e pia baptismal de taça monolítica, semi-esférica, sobre pé de secção circular, e albergando o da Epístola imagem sobre base prismática. Lateralmente, surgem confrontantes, quatro confessionários embutidos, de verga recta, com portas recortadas e as portas travessas ladeadas por pia de água benta, gomeada, com nicho superior; no lado do Evangelho, dispõe-se o púlpito, de base quadrangular sobre mísula volutada e guarda plena de madeira com pintura policroma e apontamentos de talha dourada, acedido por porta de verga recta encimada por baldaquino de talha dourada; tem confrontante retábulo de talha policroma e dourada de planta recta e três eixos. Arco triunfal de volta perfeita sobre pilastras toscanas ladeado por dois retábulos de talha policroma e dourada, de planta recta e um eixo. Pavimento soalhado e tecto em falsa abóbada de berço, estucado e pintado, com moldura vegetalista e cartela central com cena representando São João Baptista brincando com Jesus, sobre cornija de pedra. Capela-mor sobrelevada, com porta para a sacristia rasgada no lado do Evangelho. Retábulo-mor de talha policroma, a azul, branco, beije e dourado, de planta convexa e um eixo definido por quatro de colunas salomónicas, com espira fitomórfica dourada, assentes em plintos decorados com querubins e concheados, e e capitéis coríntios; ao centro abre-se tribuna em arco contracurvado, moldurado, com querubins no fecho, ladeada por concheados, interiormente decorado com painéis de talha dourada de concheados e com tecto em falsa abóbada de berço com florões, albergando trono expositivo de quatro degraus; ático composto por cornija contracurvada, fragmentos de frontão encimados por anjos de vulto que sustentam festão de flores e centram espaldar contracurvado com cornija interrompida por cartela recortada pelo Agnus Dei. Altar tipo urna, com frontal decorado com concheados em talha dourada, sobre o qual surge sacrário, tipo templete, terminado em frontão de volutas interrrompido por acanto, profusamente ornado de concheados e com cruz na porta. Pavimento soalhado e cobertura em falsa abóbada de berço, estucada e pintada com motivos alusivos à Eucaristia. Sacristia com pavimento em lajes de granito e tecto de madeira, com arcaz de castanho, comunicando com o exterior.

Acessos

Lugar da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, na encosta voltada ao rio Poio, isolado, numa plataforma sustentada por possante embasamento, sobranceiro ao casario seiscentista e setecentista, junto da residência, do salão e do cemitério paroquial. Possui adro pavimentado a cubo granítico, cerrado por muro de granito e grade de ferro, com acesso lateral e posterior por escadaria de pedra. Fronteiro à igreja, sobre soco de dois degraus de pedra, quadrangulares, ergue-se cruzeiro, com base prismática, tendo nas faces a árvore da vida, em baixo relevo, e inscrições; fuste de secção circular encimado por cartela, decorada com o escudo de Portugal numa das faces e o cálix e a hóstia, em baixo relevo, na face oposta, coroado por cruz de secção circular.

Descrição Complementar

INSCRIÇÕES: na face principal da base do cruzeiro: VIIIº CENTE / NARIO DA IN / DEPENDÊNCIA / III DA RES / TAURAÇÃO / 1940; na face posterior CRU- / ZEIRO / DA / INDE- / PENDÊN / CIA. TALHA: Retábulos da nave em talha policroma a branco, azul, marmoreado fingido a castanho e dourado. O lateral do lado da Epístola tem planta recta e três eixos definidos por duas pilastras exteriores, assentes sobre plintos paralelepipédicos decorados com elementos fitomórficos, e duas colunas interiores, de fuste liso, terço inferior canelado, e com capitéis de inspiração coríntia; ao centro, abre-se nicho de perfil curvo, decorado com motivos vegetalistas, interiormente pintado de azul e albergando imagem sobre plinto, ladeado por mísulas sustentando imaginária; nos eixos laterais, mais estreitos, surgem igualmente mísulas com imaginária; sobre entablamento, desenvolve-se o ático, em espaldar recortado sobreposto por elementos vegetalistas e, ao centro, amplo acanto dourado, ladeado por elementos volutados; banco formado por painéis ornados de acantos e integrando ao centro sacrário. Altar tipo urna com frontal decorado com elementos fitomórficos. Os outros dois altares laterais, são semelhantes, de planta recta e um eixo, definido por duas colunas marmoreadas, de fuste liso e terço inferior marcado, sobre plintos paralelepipédicos decorados com motivos fitomórficos, e de capitéis coríntios, coroadas por urnas; ao centro, abre-se nicho, de perfil contracurvado, moldurado, chave saliente e encimado por elementos fitomórficos, interiormente pintado de azul e albergando imaginária, ladeado por duas mísulas com imagens; sobre cornija com friso denticulado, desenvolve-se o ático em espaldar curvo alteado, delimitado e coroado por folhas de acanto e com grinaldas e florões no tímpano; banco com painéis decorados com elementos vegetalistas. Altar tipo urna com frontal ornado com elementos vegetalistas entrelaçados em talha dourada.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Vila Real)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 17 - Provável construção da igreja; 1755, 1 novembro - o terramoto causou algum "detrimento" na igreja; 1758, 8 março - segundo o relato do Pe. Bernardo José Gonçalves Ermelam nas Memórias Paroquiais, a freguesia possuía 97 fogos, 375 pessoas de sacramento e 40 de meninice; a igreja estava ainda por reparar dos danos causados no terramoto, nomeadamente a cruz sobre a capela-mor e a fenda aberta nas paredes do lado N., tendo ainda que retirar-se o sino da torre por ameaçar ruína; a apresentação da igreja pertencia ao vigário de Cerva, por mercê que lhe fizeram as religiosas de Santa Clara de Vila do Conde, as quais comiam os frutos colhidos na freguesia; a igreja ficava no meio do Lugar de Limões, com 56 vizinhos, e tinha quatro altares: o mor, onde estava colocado o Santíssimo Sacramento e o padroeiro São João, dois colaterais, o do Evangelho dedicado ao Santo Nome de Deus e o da Epístola de Nossa Senhora, com título do Rosário e das Neves, existindo neste mesmo lado da Epístola um altar dedicado a São Sebastião; tinha ainda uma Irmandade com invocação das Almas; o seu título era vigararia colada, com apresentação do reverendo de São Pedro de Cerva, e rendia cerca de 80$000 ou 70$000; 1766 - data inscrita no portal de acesso ao coro-alto; 1853 - com a extinção do concelho de Cerva, a freguesia de Limões passa a integrar o concelho de Ribeira de Pena; 1867 - edificação da torre sineira.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura, baptistério, pia baptismal, pias de água benta, base de púlpito, pavimento da sacristia e fonte exterior de granito; painel de azulejos no exterior; portas, balaustrada do coro-alto, confessionários, pavimento da nave e capela-mor e tecto da sacristia de madeira; retábulos e guarda do púlpito em talha dourada e policroma; vidros pintados; tectos da nave e capela-mor estucados e pintados; cobertura exterior de telha; guarda de escadas e sacada, grades das janelas e catavento com cruz de ferro.

Bibliografia

AAVV, Dicionário Enciclopédico das Freguesias, vol. 2, p. 540; CRUZ, Maria do Carmo; MAGALHÃES, José Edmundo, Ribeira de Pena - Monografia do Concelho, 1995, pp. 196 - 198.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IAN/TT: Dicionário Geográfico, vol. 20, nº 343, pp. 659 - 665

Intervenção Realizada

F.I.P.: 2003 - substituição das coberturas exteriores e dos pavimentos; pintura interior, restauro de talhas e de imagens; arranjo do adro.

Observações

Autor e Data

António Dinis 2004

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login