Igreja Paroquial de Almaceda / Igreja de São Sebastião

IPA.00012783
Portugal, Castelo Branco, Castelo Branco, Almaceda
 
Igreja paroquial de fundação quinhentista, de que nada subsiste, reformada na segunda metade do séc. 18 e recebendo reformas em 1962. É de planta retangular, composta por nave, capela-mor, anexo e torre sineira adossados com coberturas diferenciadas em falsas abóbadas de berço de madeira e iluminada por janelas em arco abatido. Fachada principal rematada em empena, com os vãos rasgados em eixo, com portal axial de verga reta e janela de volta perfeita. Interior com coro-alto, assente em mísulas e colunas integrando pias de água benta, de provável feitura oitocentista, reformado na década de 60, com a construção de nova estrutura em viga de betão. Tem batistério na base da torre, transformado em confessionário, púlpito com acesso pela espessura do muro, capela laterais contendo retábulos de talha pintada de feitura novecentista, arco triunfal ladeado por capelas retabulares dispostas em ângulo, oitocentistas, seguindo uma linguagem tardo-barroca. Retábulo-mor de corpo reto e cinco eixos, os três centrais de talha rococó, ampliado mais recentemente.
Número IPA Antigo: PT020502020112
 
Registo visualizado 306 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta retangular composta por nave, capela-mor e anexo adossado ao lado esquerdo e torre sineira no oposto, de volumes articulados e escalonados, com coberturas diferenciadas em telhados de uma (anexo) e duas águas, rematadas em beiradas simples, sendo em coruchéu piramidal rebocado e pintado de branco, na torre sineira. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, parcialmente percorridas por socos de cantaria, a principal com cunhais flanqueadas por cunhais apilastrados, firmados por pináculos piramidais, esta rematada por frisos e cornijas. Fachada principal virada a oriente, rematada em empena com cruz latina sobre plinto paralelepipédico no vértice. É rasgada por portal axial de verga reta e moldura recortada, sobrepujado por frontão triangular e janelão de volta perfeita e moldura simples. No lado direito, a torre sineira com três registos definidos por cornijas, os inferiores com óculos circulares e porta na face posterior, sendo o superior rasgado por ventanas de volta perfeita. A estrutura remata em cornija com pináculos nos ângulos. Fachada lateral esquerda rasgada por porta travessa de verga reta e janela de perfil abatido, marcada pela sacristia adossada à capela-mor, com porta de verga reta na face principal. Fachada lateral direita rasgada por porta travessa de verga reta, tendo moldura simples e remate em friso e cornija, e por três janelas em arco abatido, duas na nave e uma no corpo da capela-mor. Fachada posterior rematada em empena e cega, com o corpo da sacristia em meia-empena, rasgado por janela retilínea, protegida por grades. INTERIOR rebocado e pintado de branco, percorrido por lambris de cantaria polida, com coberturas em falsas abóbadas de berço de madeira, pintadas de azul, reforçadas por tirantes metálicos, a da nave com painel pintado a representar o orago e a capela-mor decorada por painéis circulares pintados; pavimento da nave em soalho com corredor em cantaria. Coro-alto sobre viga de betão, assente em duas colunas toscanas de cantaria e duas mísulas, integrando pias de água benta, e guarda de madeira torneada, com acesso por escadas no lado do Evangelho. O portal axial está protegido por guarda-vento de madeira e bandeira em vidro. A porta travessa está ladeada por pia de água benta, embutida no muro, em cantaria de granito e decoração gomada. No sub-coro, no lado da Epístola e sob a torre, o antigo batistério, hoje a funcionar com confessionário, tendo acesso por arco de volta perfeita protegido por grade em ferro pintado de prego, formando volutas e enrolamentos. No lado do Evangelho, o púlpito retangular, com bacia em cantaria de granito, sobre mísula e guarda de madeira, de falsos balaústres pintados de cinza e dourado, com acesso por porta e escadas rasgadas no muro. Confrontantes, capelas laterais à face, integradas em vãos de volta perfeita, assentes em pilastras toscanas, dedicados a Nossa Senhora de Fátima (Evangelho) e Santa Teresinha (Epístola). Arco triunfal de volta perfeita, assente em pilastras toscanas, com fecho saliente e decorado no intradorso, encimado por painel de azulejo figurativo, azul e branco, representando a "Aparição de Nossa Senhora de Fátima" e flanqueado por capelas retabulares colaterais, dispostas em ângulo, dedicadas ao Imaculado Coração de Maria (Evangelho) e ao Sagrado Coração de Jesus (Epístola). Capela-mor com supedâneo de dois degraus, sobre o qual se ergue ambão em cantaria e, mais elevada, a mesa de altar, em mármore, composta por pilares em cantaria de granito e tampo simples, em mármore. Na parede testeira, o retábulo-mor, de talha pintada de branco, cinza, azul e dourado, de corpo reto e cinco eixos definidos por quatro colunas coríntios, com o terço inferior marcado por anel, assentes em duas ordens de plintos paralelepipédicos, decorados por folhagem, e por duas pilastras nos eixos exteriores. Ao centro, tribuna de perfil contracurvo e moldura saliente, envolvido superiormente por folhagem, contendo trono expositivo de cinco degraus. Cada um dos eixos laterais possui mísulas bolbosas, encimadas por falsos baldaquinos com decoração vegetalista rendilhada. Os eixos exteriores formam apainelados. A estrutura remata em amplo frontão semicircular, interrompido centro por frontão de perfil contracurvo, de inspiração borromínica, com acantos e espaldar curvo. Altar em forma de urna com decoração vegetalista e encimado por sacrário em templete, marcado por colunas e orelhas de enrolamentos, rematando em domo. No lado do Evangelho, arco de volta perfeita abre para espaço de assistência lateral.

Acessos

Almaceda, Rua da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Peri-urbano, isolado, implantado a sul da povoação, de que dista cerca de 150 metros, implantado em zona de forte declive vencido por plataforma artificial, sustentada por muro em alvenaria, integrando um pequeno nicho. A plataforma encontra-se elevada relativamente à via pública, possuindo um pequeno viaduto em arco sobre a mesma, de acesso ao cemitério, também ele elevado e com plataforma em esbarro. A plataforma dá origem a um adro, protegido por guarda em alvenaria pintada na zona frontal e lateral, com rampa de acesso no lado direito. O adro está pavimentado a calçada, com algumas áreas decoradas com formas geométricas, com calçada à portuguesa, tendo fronteira a data "1962". No adro situa-se um pequeno fontanário, em alvenaria e cantaria de granito, com espaldar curvo, contendo painel de azulejo policromo, com a representação de São Francisco junto a uma fonte, com a inscrição: "OFERTA / DE SENHOR PADRE / JOSÉ VENTURA M. DIOGO / ANO 1962". Algumas zonas têm canteiros ajardinados.

Descrição Complementar

O RETÁBULO LATERAL DO EVANGELHO é de talha pintada de vermelho e dourado, de corpo reto e um eixo definido por quatro colunas de fustes espiralados e o terço inferior ornado por pâmpanos, que se prolongam em duas arquivoltas envoltas por folhagem, dando origem a um tímpano ornado com querubim em glória. Ao centro, painel retilíneo contendo peanha com imaginária. Altar em forma de urna, decorado por cartela de concheados e acantos, contendo os três cravos da Paixão. O RETÁBULO COLATERAL DA EPÍSTOLA é de talha pintada de vermelho e dourado, de corpo reto e um eixo definido por quatro colunas torsas decoradas por pâmpanos e assentes em consolas, as exteriores prolongadas em arquivolta torsa, com pâmpanos e aduelas no sentido do raio, tendo querubim central, dando origem a tímpano ornada por florão e acantos enrolados; entre as colunas, frisos fitomórficos. Ao centro, painel retilíneo contendo peanha com imaginária. Altar em forma de urna, decorado por cartela de concheados e acantos. No FECHO DO ARCO TRIUNFAL, a inscrição relevada "1757(?) / (...)". Os RETÁBULOS COLATERAIS são semelhantes, cada um deles de talha pintada de branco, cinza e dourado, de corpo reto e um eixo definido por duas colunas com o terço inferior marcado por anel, assentes em consolas e com orelhas exteriores. Ao centro, nicho lobulado e moldura saliente, com o interior pintado de azul, ladeado por duas pequenas mísulas. A estrutura remata em cornija, fragmentos de frontão encimados por folhagem e espaldar recortado, encimado por acantos vazados, tendo resplendor com as iniciais "AM", no do lado do Evangelho, e coração inflamado no lado oposto, ambos ostentando reserva com inscrição. Altar em forma de urna, ornado por folhagem e cartela central com as iniciais "AM" (Evangelho) e "IHS" (Epístola). Está encimado por sacrário embutido, com a porta ornada por ostensório. O do Evangelho tem a inscrição: "IMMACULADO / CORAÇÃO DE MARIA / 1894", surgindo, no oposto, "VOTO / QUE FEZ / ANTONIO MAGUEJO / MANDOU FAZER / EM 1893". A COBERTURA DA CAPELA-MOR possui painel retilíneo, que centra um painel com a "Adoração do Santíssimo", tendo reservas nos ângulos com a representação de: iniciais "IHS", "Agnus Dei", o Cálice e o Pelicano a alimentar os filhotes, formando uma alegoria salvífica.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese da Guarda - Arciprestado de Alpedrinha)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 16 - formação da paróquia, sendo o padre apresentado pelo vigário de Santa Maria de Sarzedas; 1757 - provável reconstrução da igreja e feitura do retábulo-mor; séc. 18, 2.ª metade - remodelação da capela, recebendo os vãos novos perfis e novas modinaturas; 1758, 20 março - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco, surge referida a igreja como estando fora do lugar, dedicada a São Sebastião, com quatro altares, o mor, o da Senhora do Rosário, das Almas, com Irmandade e de São Sebastião; o pároco é cura amovível, apresentado pelo vigário de Sarzedas, e tem de renda 8$000 em dinheiro, 2 almudes de, 22 alqueires de trigo, 15 de centeio e o pé-de-altar que rende cerca de 80$000; 1893 - feitura do retábulo colateral da Epístola, dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, por voto de António Magueijo; 1894 - feitura do retábulo colateral do Evangelho, dedicado ao Imaculado Coração de Maria; 1962 - remodelação da igreja, com a feitura do novo coro-alto e dos retábulos laterais; arranjo da zona envolvente e construção do fontanário, por iniciativa do Padre José Ventura M. Diogo.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria rebocada e pintada; cruzes, socos, cunhais da fachada principal, pináculos, degraus, modinaturas, bacia do púlpito, colunas, mísulas e pavimento em cantaria de granito; mesa de altar em mármore; coberturas, portas, guarda do coro-alto, confessionário, guarda do púlpito e mobiliário de madeira; grades das janelas e do batistério em ferro; retábulos de talha pintada; caixilharias em metal e vidro; cobertura em telha cerâmica.

Bibliografia

SILVA, Isabel (coord.) - Dicionário Enciclopédico de Freguesias. Matosinhos: Minhaterra, 1997, vol. IV, p. 114.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: SIPA; Diocese da Guarda: Departamento do Património Cultural

Documentação Administrativa

DGLAB/TT: Memórias paroquiais, vol. 3, n.º 4, fls. 51 a 54

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: séc. 21 - colocação de novos pavimentos; feitura dos lambris; colocação de pia de água benta na porta travessa; restauro dos retábulos.

Observações

Autor e Data

Paula Figueiredo 2017 (no âmbito da parceria DGPC / Diocese da Guarda)

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login