Igreja Paroquial de Castedo / Igreja de São João Baptista

IPA.00011973
Portugal, Vila Real, Alijó, União das freguesias de Castedo e Cotas
 
Arquitectura religiosa, maneirista e rococó. Igreja paroquial de planta longitudinal composta por nave única, com duas capelas laterais confrontantes profundas, e capela-mor, mais baixa, interiormente com tectos de madeira e iluminada por frestas e tendo adossado, na fachada lateral esquerda, torre sineira e sacristia. Fachadas com pilastras nos cunhais, terminadas em friso e cornija e com porta travessa na lateral direita. Fachada principal rasgada por portal em arco de volta perfeita, encimado por nicho com imagem do orago e óculo circular. Interior com coro-alto, púlpito no lado do Evangelho, retábulo da capela lateral do Evangelho e colaterais maneiristas, o primeiro de andares, com planta recta, três eixos e dois registos, e os segundos tipo nicho, o da capela lateral da Epístola tardo-barroco e o mor e frontais de altar revivalistas. Tecto da nave com pintura de quadraturas rococó. Igreja de linhas muito sóbrias, seguindo a tipologia regional das Matrizes mais simples, com a fachada principal terminada em empena, com cornija. Os vãos apresentam arco de volta perfeita, de modinatura revivalista, e foram executados provavelmente durante as reformas do séc. 20, tal como o alteamento da torre sineira, de construção posterior à igreja. Interiormente, o coro-alto surge fechado inferiormente, comunicando com a nave por três portais em arco de volta perfeita. O retábulo da capela lateral do Evangelho, ainda que apresente estrutura maneirista, de dois registos nos eixos laterais, teve o eixo central reformulado no período barroco, conforme denota a decoração que encima a tribuna, e o seu remate constitui o aproveitamento de parte das volutas dos eixos laterais, percebendo-se que o ático do retábulo foi posteriormente truncado para encaixar no espaço da capela. O retábulo da capela lateral da Epístola possui estrutura neoclássica, mas o remate é ainda de influência rococó. Nos retábulos laterais, apenas o da Epístola conserva a tabela pintada e ambos possuem o remate do ático de feitura recente. O retábulo-mor é revivalista, de inspiração clássica, visto que conjuga elementos de várias ordens com outros atípicos, devendo ter sido executado em meados do séc. 20. A decoração dos frontais de altar, também eles de feitura recente, é revivalista, reproduzindo alguns elementos rococós. Destaca-se a pintura do tecto da nave, datada, semelhante a outras existentes no concelho, mas de qualidade superior, conjugando a representação do orago com Virgens Mártires e Santas, de um lado, e os Apóstolos, do outro, dispostas em edículas de colunas.
Número IPA Antigo: PT011701050047
 
Registo visualizado 642 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única, com duas capelas laterais profundas confrontantes, a lateral direita exteriormente facetada, e capela-mor, da mesma largura, tendo adossado à fachada lateral esquerda torre sineira quadrada e sacristia rectangular. Volumes escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas na igreja e a três na sacristia e capela. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, com pilastras nos cunhais, coroadas por pináculos piramidais sobre plintos paralelepipédicos, embasamento em cimento a imitar cantaria e terminadas em friso e cornija, moldurada. Fachada principal virada a S., terminada em empena, coroada por cruz latina de cantaria, revestida a azulejos modernos de padrão, monocromos azul sobre fundo branco. É rasgada por portal em arco de volta perfeita assente em pilastras, com chave sobreposta por escudo com cruz e IHS, encimado por nicho, inserto em tabela rectangular, com arco em volta perfeita e cúpula concheada, albergando imagem, assente em cornija e sobreposto por dupla cornija, e óculo circular, com moldura de cantaria e vidros coloridos; ladeando o portal, abrem-se duas frestas de topos superiores curvos e vidros igualmente coloridos. Torre sineira, recuada relativamente à fachada principal, de dois registos, altos, definidos por friso e cornija, tendo no primeiro, registo de azulejos policromos com figuração da Aparição de Nossa Senhora de Fátima, no segundo relógio circular e, em cada uma das faces, sineira, em arco de volta perfeita albergando sino; é coroada por coruchéu de dois registos, o primeiro de plano inclinado, ornado com elemento curvo saliente, e o segundo direito, rasgado por sineira, terminado em corpo tronco-piramidal rematado por cruz de ferro. Fachadas laterais com nave rasgada por duas frestas de topo curvo; na lateral esquerda, abre-se na torre, portal em arco de volta perfeita, encimado por registo de azulejo figurando São João, e na sacristia, portal de igual modinatura entre dois óculos circulares; na fachada lateral direita, abre-se ainda portal central semelhante e chave relevada e a capela tem, virada a S. fresta. Fachada posterior com nave e capela-mor, cega, terminadas em empenas, coroadas por cruz latina de cantaria. INTERIOR rebocado e pintado de branco, com silhar de azulejos recentes azuis e brancos de padrão. Coro-alto de betão, com guarda em balaustrada de madeira envernizada, e inferiormente fechado por parede, onde se abrem três portais em arco de volta perfeita, o central mais alto e largo, fechados por portas com bandeira em madeira envidraçada; no sub-coro, com pavimento cerâmico policromo, abre-se de cada lado vão em arco de volta perfeita; o do lado do Evangelho alberga pia baptismal circular sobre pé tronco-cónico invertido, encimada por registo de azulejos monocromos azuis sobre fundo branco com representação do Baptismo de Cristo, fechada por cancela de ferro; o do oposto forma capela com imagem do Senhor dos Passos e altar de talha. Sensivelmente a meioda nave, dispõe-se no lado do Evangelho púlpito de bacia rectangular sobre mísula volutada, com guarda em balaustrada, acedido por porta de verga recta. De cada um dos lados, abre-se uma capela lateral, confrontantes, com arco de volta perfeita sobre pilastras toscanas, sobrepujado por cartela inscrita, a do Evangelho com representação de cálice com hóstia e a da Epístola com Coração Inflamado; apresentam retábulo de talha policroma a azul, bege e dourado, de planta recta e três eixos, e tecto de madeira pintado de azul, na do Evangelho de perfil curvo, sobre cornija também de madeira, formando caixotões, e na do lado oposto em masseira. Seguem-se dois retábulos colaterais, também eles confrontantes, de estrutura semelhante, e com planta recta e um eixo. Tecto da nave com pintura decorativa em quadraturas, formando edículas de colunas sobre plintos albergando doze Virgens Mártires e Santas na metade junto ao coro e os Apóstolos na metade junto ao arco triunfal, identificados inferiormente com inscrições, e envoltas por grinaldas e anjos; ao centro possui ampla cartela recortada e inscrita com a representação do Baptismo de Jesus, e numa outra lateral a inscrição a Cidade de Deus. Na capela-mor, sobre supedâneo acedido por vários degraus frontais, assenta o retábulo-mor, em talha policroma a branco, azul, marmoreado fingido castanho e dourado, de planta recta e três eixos, definidos por pilastras de inspiração clássica, com terço inferior marcado com caneluras, assentes em plintos altos e delgados, e de capitéis jónicos, que suportam entablamento e têm no seu enfiamento espigas douradas relevadas sobre plintos; ao centro, abre-se tribuna de perfil abatido, interiormente pintado de azul e com a inscrição "EUCARISTIA" e "FAMILIA", e albergando trono expositivo de cinco degraus facetados e ornados com elementos fitomórficos; nos eixos laterais, sobre as portas de acesso à tribuna, surgem painéis rectangulares jacentes sobrepostos por grinalda encimados por um outro vertical sobreposto por mísula com imaginária; ático formado por espaldar terminado em arco em volta perfeita, integrando vários arcos, um com chave relevada, e onde se insere o arco da tribuna, terminando em cornija, ladeado por painéis com parras. Altar tipo urna com frontal pintado de azul e branco, possuindo cartela circular central com cruz e resplendor, envolvida por elementos fitomórficos. Encima-o sacrário tipo templete, de colunas caneladas e capitéis coríntios, terminado em cornija contracurvada decorada com acantos. Tecto de madeira de perfil curvo, pintado de azul, com São João Baptista numa cartela central, assente em cornija. Sacristia com arcaz e lavabo de espaldar rectangular vertical, terminado em empena aguda, com cornija, e inferiormente recortado, com rosto antropomórfico encimado por pequeno reservatório, e com pequena bacia facetada.

Acessos

Rua Adriano Joaquim Machado

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado no interior da povoação. Insere-se em adro adaptado ao declive do terreno, e sobrelevado em relação à estrada que passa fronteiro e atravessa a povoação, sendo vedado por muro de alvenaria rebocado, encimado por gradeamento de ferro; em frente à fachada principal tem portal de acesso, delimitado por pilastras coroadas por pináculos sobre plintos, e com portão de ferro. O adro é pavimentado a paralelepípedos, formando bandas verticais e frontalmente formando quadrícula. Entre a sacristia e a torre sineira existe canteiro de flores, vedado por grade de ferro, e junto à fachada principal e lateral direita uma palmeira, cedro e oliveira. Junto à fachada posterior, fica o cemitério.

Descrição Complementar

O registo de azulejos da torre, rectangular e envolto em cercadura de acantos, possui a inscrição BIMILENÁRIO DE NOSSA SENHORA CASTEDO - 1985. A cartela da capela lateral do Evangelho, em escudo de formato clássico, possui a inscrição "LOVADO SEA O SANTISIMO SACRAM(en)TO 1620" e a do lado oposto, semelhante, "AVE MARIA 1958". Na sacristia existem as seguintes inscrições em lápides de mármore: "AO PE. JOSÉ ANTÓNIO TEIXEIRA PRAÇA / A HOMENAGEM E AGRADECIMENTO DOS SUES / PAROQUIANOS PELO GRANDE ESFORÇO DISPENDIDO / NA CONCRETIZAÇÃO DO SEU SONHO DE / RESTAURAR E REMODELAR A NOSSA IGREJA / CASTEDO, 28 - 7 - 1962"; ladeando o arcaz "A BENEMÉRITA NOÉMIA DA VEIGA MORAIS (falecida) 1962" e "AO BENEMÉRITO ANTÓNIO JOAQUIM TEIXIERA (falecido) 1973". TALHA: Capela do sub coro no lado da Epístola com altar paralelepipédico, com frontal marcando sanefa e sebastos, decorado com cartela central envolvida por concheados. O retábulo da capela lateral do Evangelho tem planta recta, de dois registos e três eixos, definidos por quatro colunas torsas decoradas por pâmpanos, assentes em plintos paralelepipédicos, ornados de elementos fitomórficos espiralados, e de capitéis coríntios, e por quatro consolas no segundo registo; no eixo central, abre-se tribuna de perfil recortado, e decorados com elementos fitomórficos em talha dourada relevada, tendo ao centro fragmentos de volutas e pelicano; nos eixos laterais dispõem-se, sobrepostos e separados por friso com querubim e cornija, dois painéis pintados, os inferiores maiores figurando São Frutuoso e São Caetano, e os superiores Nossa Senhora da Conceição e São José, terminados em elementos volutados; banco de apainelados de talha com elementos fitomórficos espiralados e integrando ao centro sacrário tipo templete, terminado em volutas e com porta almofada sobreposta por cruz. Altar paralelepipédico, com frontal marcando sanefa e sebastos, decorado com cartelas, concheados e elementos fitomórficos. O retábulo da capela lateral da Epístola apresenta três eixos definidos por quatro colunas de fuste canelado e terço inferior marcado, assentes em plintos paralelepipédicos, decorados, e de capitéis coríntios; ao centro, abre-se tribuna de perfil contracurvado, com acantos na chave, interiormente pintado de azul e albergando imagem; nos eixos laterais, dispõem-se painéis pintados de azul e filete dourado sobreposto por mísula de volutas com imaginária; ático formado por frontão triangular, exteriormente contracurvado e ornado de elementos fitomórficos, assente na arquitrave que remata os eixos laterais, com friso denticulado, e com tímpano pintado; banco composto por painéis ornados de losangos e altar paralelepipédico, tendo no frontal cartelas e concheados. Retábulos colaterais de planta recta e um eixo definido por duas colunas de fuste decorado com elementos fitomórficos e terço inferior marcado, assentes em plintos paralelepipédicos decorados de acantos, e de capitéis coríntios; ao centro, possui painel, tendo fronteiro mísula com imagem; sobre friso ornado de elementos vegetalistas e cornija, assenta o ático formado por tabela rectangular, horizontal, flanqueada por consolas, elementos volutados sobrepostos por ave e pináculos no alinhamento das colunas, rematada por cornija e terminada em espaldar recortado, o do Evangelho pintado com coroa e o da Epístola com âncora; a tabela do retábulo da Epístola ainda conserva a pintura representando a Anunciação. Altares com frontais marcados por sanefa e decorados com três cartelas recortadas com elementos fitomórficos.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Vila Real)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1226 - Castedo é referido no foral de D. Sancho II como pertencendo à freguesia e paróquia de Alijó; séc. 17 - provável ascensão de Castedo a sede de paróquia e construção da igreja; 1610 - data do primeiro registo de casamento documentado; 1611 - data do primeiro registo de baptismos documentado; 1620 - data na cartela da capela lateral do Evangelho; 1758, 2 Março - Castedo tinha então 124 fogos, e a freguesia era curato da apresentação do Reitor da vila de Alijó; a igreja tinha cinco altares: o retábulo-mor, dedicado a São João Baptista, com fábrica da obrigação real do Colégio de São Pedro de Coimbra, o lateral direito, das Almas, o da esquerda de Nossa Senhora do Rosário, e no corpo da igreja o altar do Santíssimo e uma capela particular de Santo António, a quem pertencia a despesa da lâmpada e fábrica do altar; para o culto divino e da freguesia tinha ainda um altar particular, dos Pimentéis, também no corpo da igreja dedicado ao Espírito Santo; tinha uma Irmandade dedicada às Almas; o páraco era vigário, tendo de congrua 14$000 rs, 23 alqueires de trigo e 2 almudes de vinho; 1759, até - foram os seus donatários os Marqueses de Távora, mas com a queda política dos mesmos, passou para a Coroa; 1774 - data da feitura da pintura decorativa do tecto da nave; 1775 - data do primeiro registo de óbito documentado; 1798 - data do primeiro registo de baptismos documentado; 1834, até - esteve na posse da coroa; 1852 - surge no concelho e comarca de Vila Real; 1855, até - foi vigararia da apresentação do abade de Vilarinho da Castanheira no termo da mesma vila; 1860 - data do primeiro registo de casamento e de óbito documentado; 1878 - passou a integrar o concelho e julgado de Alijó; séc. 20 - reforma da igreja, com alteração da modinatura dos vãos; revestimento a azulejos da fachada principal e alteamento da torre; 1946 - data da cruz da Santa Missão; 1958 - data da cartela na capela lateral da Epístola; 1962 - pintura do tecto sobre o coro-alto, conforme a inscrição pintada; colocação de lápide inscrita na sacristia em homenagem ao Pe. José António Teixeira Praça; 1985 - colocação do registo de azulejos na torre sineira.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura rebocada e pintada; elementos estruturais, frisos e pilastras, pináculos, molduras dos vãos, pia baptismal e de água benta, lavabo, base do púlpito em cantaria de granito; embasamento em cimento; revestimento, silhar e registos de azulejos; portas de madeira; janelas e óculos com vidros martelados policromos em caixilharia de ferro; candeia sobre o nicho em ferro; guarda do coro e do púlpito em madeira; retábulos de talha policroma e dourada; tectos de madeira, o da nave com pinturas decorativas; pavimentos cerâmicos e em granito; sinos de bronze; lápides de mármore; cobertura em telha.

Bibliografia

CABRAL, António, Adeus, Adeus, Ó Castedo. Apontamento Monográfico sobre Castedo do Douro in Estudos Transmontanos e Durienses, vol. 5, Vila Real, 1993, pp. 289 - 312; MARIZ, José (Coordenação), Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais, vol. 2 - Norte, s.l., 1994; PLÁCIDO, Manuel Alves, O povoamento do concelho de Alijó (1115 - 1269), in Estudos Transmontanos, nº 2, Vila Real, 1984, p. 51 - 66; Coord. SILVA, Isabel, Dicionário Enciclopédico das Freguesias, vol. 3, Matosinhos, 1997; Castedo do Douro. Das Tradições ao Futuro, 15-04-2004, www.espigueiro.pt, 12 Setembro 2005.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHUR: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IAN/TT: Dicionario Geográfico, vol. 9, nº 109, p. 1289 - 1290; Arquivo Distrital de Vila Real: Arquivo Paroquial (datas extremas: 1798 - 1881); Arquivo Paroquial (a partir 1610)

Intervenção Realizada

Paróquia: séc. 20, 2ª metade - obras de reparação e ampliação promovidas pelo padre José António Teixeira Praça.

Observações

O topónimo Castedo tem origem latina e foi influênciado pela cultura agrícola predominante da região, pois a palavra inicial, castanetum, significaria castanheiro. De castanhedo, o nome terá evoluído para castanedo - castaedo - castedo. O povoamento de Castedo remonta à época pré-histórica, existindo no monte da Cerca um castro. Outra hipótese é que derive da palavra castretu(m), diminuitivo de castru(m) - castro. Na verdade, existem no lugar da Cerca ruínas de um castro romanizado. Nesse caso, a evolução da palavra seria: castretu(m) - castetu - castedo. Durante o reinado de D. Pedro II e D. José, Castedo teve uma grande incremento devido à produção da vinha, ao ponto de um dos seus lugares ser designado como "Porto Pequeno".

Autor e Data

Paula Noé 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login