Povoado do Lago / Estação arqueológica de Lago

IPA.00001108
Portugal, Braga, Amares, Lago
 
Aglomerado proto-urbano. Povoado proto-histórico. Povoado fortificado situado em vale. A original topografia e sistema defensivo (localização em pleno vale, um pequeno cabeço de baixa altitude, uma única muralha circundando uma plataforma poligonal irregular) conferem ao povoado uma fisionomia própria que o distingue claramente dos típicos castros da região minhota.O povoado do Lago pode inserir-se num tipo de habitat que vem merecendo crescente valorização entre os investigadores, que frequentemente o designam por castro agrícola. Este tipo de habitat, parece definir uma modalidade de ocupação e exploração do território específica, com desenvolvimento entre os finais do 1º milénio a.c. e os inícios da romanização, relacionada com a utilização e exploração de terrenos cada vez mais perto do vale, os solos de aluvião, e, portanto, mais longe dos povoados de altitude anteriormente exclusivos.
Número IPA Antigo: PT010301130010
 
Registo visualizado 152 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado proto-histórico  Povoado fortificado  

Descrição

O povoado possui uma única plataforma poligonal irregular, circundada, pelo menos no lado Oeste, por uma muralha de pedra reforçada internamente por um segundo muro, à qual se associa um fosso, escavado na base da vertente. As áreas que foram objecto de sondagens arqueológicas mostram vestígios de estruturas habitacionais constituídas por alicerces de pedra não faceada, buracos de poste e lareiras.

Acessos

EN 205, Km. 45, Lug. da Ponte por caminho carreteiro

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 29/84, DR, 1ª Série, nº 145, de 25 junho 1984

Enquadramento

Rural. O povoado assenta no topo aplanado de um pequeno cabeço de baixa altitude (cota máxima de 65,30m), sobranceiro ao rio Cávado, destacando-se bem na superficie suavemente ondulada da plataforma fluvial. Cobertura vegetal constituída por pinheiros e eucaliptos e denso manto de herbáceas e gramíneas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Época Construção

Proto-história

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Proto-história - estruturação faseada do povoado. A sequência estratigráfica exumada nas sondagens arqueológicas realizadas por Manuela Martins (1990 / 112 - 113) permitiu-lhe definir duas principais fases de ocupação (Lago I e Lago II) com correspondência na 2ª metade da Fase II (séc. 7 / 6 - 2 a.C.) e Fase III (séc. 1 a.C. - meados do séc.1) da evolução dos povoados proto-históricos da bacia do médio Cávado. O povoado mostra, na fase mais antiga (Lago I), uma muralha em talude sobre a qual virá assentar uma muralha de pedra que se associa a um fosso escavado na rocha na base da vertente. Alicerces de estruturas, buracos de poste e numerosas lareiras parecem indicar a existência de estruturas habitacionais de carácter rudimentar e de planta circular. Na fase mais recente (Lago II), a muralha foi reforçada internamente por um muro, apenas com uma face, que aparenta suster a demolição da fortificação construída na fase anterior. Esta estrutura possui um aparelho poligonal com pedras bem faceadas a pico. Os vestígios de estruturas habitacionais associadas a esta fase são constituídos por alicerces, feitos com pedras simplesmente partidas, e por buracos de poste. Não foram encontrados indícios seguros de romanização.

Dados Técnicos

Materiais

Granito

Bibliografia

MARTINS, Manuela, O povoamento proto-histórico e a romanização da bacia do médio Cávado, Braga, 1990, p. 68; MARTINS, Manuela, O povoado fortificado do Lago, Amares, Cadernos de Arqueologia - Monografias, 1, Braga, 1988; MARTINS, Manuela, O povoado proto-histórico do Lago (Amares). Sistemas de defesa e fases de ocupação, O Arqueólogo Português, Série IV, vol. 4, Lisboa 1986, pp. 149 - 184.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

DREMN

Intervenção Realizada

Foram realizadas três campanhas de escavações arqueológicas entre 1980 e 1982 (MARTINS - 1988/11-12) que constituiram um estudo preliminar da estação com os objectivos de definir o sistema defensivo do povoado e as fases de ocupação do sítio.

Observações

Autor e Data

Isabel Sereno / Paulo Dordio 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login