Igreja Paroquial de Dornelas do Zêzere / Igreja de Nossa Senhora das Neves

IPA.00010890
Portugal, Coimbra, Pampilhosa da Serra, Dornelas do Zêzere
 
Arquitectura religiosa, barroca. Igreja paroquial evidenciando várias reformas, apenas se podendo caracterizar de típicamente barrocas, sobretudo pela integração das artes, em particular a talha e a pintura decorativa, a capela-mor e a colateral do Evangelho. Retábulos rococó e proto-neoclássicos; azulejos de padrão seiscentistas; escultura renascentista e barroca.
Número IPA Antigo: PT020612020004
 
Registo visualizado 301 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave com vestíbulos e capelas laterais, capela-mor e sacristia; volumes articulados dispostos horizontalmente; cobertura exterior em telhado de duas águas. Fachada principal a O., de pano único, empena triangular, cunhais e cornijas de cantaria, porta rectangular de cimalha; campanário encostado à direita, de duas ventanas e cimalha geral direita, com data MDCCLXI. INTERIOR: nave única, com cobertura em falsa abóbada de madeira; dois vestíbulos e duas capelas colaterais e a capela da pia baptismal à entrada do lado da Epístola sob o coro-alto; capela-mor de dimensão reduzida, falsa abóbada de madeira em caixotões de fundo pintado e moldura de talha dourada em fino baixo-relevo, paredes atapetadas de azulejos; retábulo-mor de colunas torcidas e pâmpanos; sacristia ao lado do Evangelho; capela colateral deste lado, coberta por abóbada de caixotões de madeira com pintura figurativa fazendo conjunto com o retábulo de conchedos, de tábua pintada ao centro e esculturas de madeira nos intercolúnios; do lado oposto, a outra capela, tem abóbada de tijolo e abriga um retábulo de marmoreados fingidos e decoração concheada no qual se expõem três esculturas, sendo as duas mais antigas de pedra, uma Santíssima Trindade, ao centro, e uma Senhora com o Menino à esquerda; há outros dois retábulos de talha branca e dourada expostos nos vestíbulos, mas que são colaterais ao arco cruzeiro, para onde deverão transitar; acolhem nos nichos centrais imagens recentes, mas acolhem nas mísulas laterais esculturas de madeira de época anterior.

Acessos

Avenida Marginal Engenheiro Horácio de Moura, Adro da Igreja

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, isolada, junto ao rio, implantação harmónica no centro de pequeno largo na parte baixa da povoação.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Coimbra)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Época medieval - registo mais antigo de Dornelas como paróquia, do reinado de D. Dinis (NOGUEIRA, 1986); a igreja é designada de Santa Maria (CORREIA e GONÇALVES, 1952; NOGUEIRA, 1986), dependente da vizinha Covilhã e cabeça de extensa paróquia; dela se desmembraram ao longo dos séculos pelo menos duas: Barroca do Zêzere no séc. 16 e Aldeia de São Francisco no 18 (NOGUEIRA, 1986); 1320, 23 maio - bula do Papa João XXII concedendo a D. Dinis, por três anos, para subsídio de guerra contra os mouros, a décima de todas as rendas eclesiásticas do reino, sendo a igreja taxada em 30 libras; integra o termo da Covilhã e o bispado da Guarda; séc. 17, final - a antiga igreja sofre campanha de obras, de que restam vestígios arquitectónicos e artísticos na capela-mor e colaterais; séc. 18, segunda metade - nova reforma do templo com o campanário de 1761 e também o retábulo colateral do lado da Epístola; 1992-1993 - reconstrução total do corpo da igreja, salvaguardando a cabeceira, capelas laterais e frontaria.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Alvenaria de pedra, pedra, madeira, telha.

Bibliografia

CORREIA, Vergílio e GONÇALVES, A. Nogueira, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Coimbra, Lisboa, 1952; NOGUEIRA, Eurico Dias, Desenvolvimento Regional e Fé Cristã, Braga, 1986.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 2000 - restauro da pintura e douradura da capela-mor, pelo pintor Eliseu, da Lousã.

Observações

Autor e Data

Francisco Jesus 2000

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login